ENTREVISTA

Marketing Pessoal

Afinal, o que é marketing pessoal?

Mario Persona -
 Marketing pessoal é um conjunto de ações que visa adequar uma pessoa para melhor atuar no mercado de trabalho ou em qualquer rede de relacionamentos. Em um certo sentido é bastante parecido com o marketing de produto ou serviços, mas nem sempre visa lucro. 

Poderia explicar a importância do marketing pessoal na conquista de um novo emprego ou para conseguir se destacar profissionalmente?

Mario Persona - 
Alguém preocupado com seu marketing pessoal ficará atento às necessidades de seu mercado, que pode incluir a empresa onde pretende trabalhar, para melhor se adequar para corresponder às demandas dessa empresa. Não se trata apenas de uma ação isolada, mas de se adquirir uma visão de marketing para sua própria vida, desenvolvendo um olhar crítico para suas próprias capacidades e habilidades e estando sempre pronto a aprimorá-las para atender bem seu público alvo.

Muitas pessoas consideram que desenvolver um bom marketing pessoal é uma tarefa difícil. Até que ponto isso é verdade?

Mario Persona -
 É comum as pessoas confundirem marketing pessoal com aparência, propaganda, habilidade de comunicação e tantas outras coisas, mas na verdade a essência não é isso. Essas coisas podem ajudar, mas a essência do marketing pessoal é você criar sua própria marca, que será reconhecida por seu círculo de relacionamentos ou de trabalho como algo que agrega valor.

O que é preciso para fazer um bom marketing pessoal? Poderia dar algumas dicas para o profissional mostrar suas habilidades de maneira eficiente?

Mario Persona -
 O primeiro passo é analisar suas próprias competências e habilidades e buscar no mercado o melhor segmento onde pretende atuar. Nas outras variantes de marketing pessoal você pode trocar esse "buscar no mercado o melhor segmento" por procurar o esporte que mais se adequa a essas habilidades, descobrir onde o pessoal de sua idade e com mesmos interesses frequenta etc. Mas, vou me concentrar no marketing pessoal visando aprimorar a carreira profissional e não a vida sentimental, esportiva ou de amizades.

Ao detectar seu mercado o profissional deve verificar quais são os seus principais concorrentes nesse mercado e analisar os pontos fortes e fracos desses concorrentes e os seus próprios pontos fortes e fracos. Se estivermos falando de um ambiente de trabalho, onde o objetivo é subir de posto, o marketing pessoal irá analisar os colegas que concorrem ao mesmo posto, não para tentar tirá-los do caminho, mas para procurar aprimorar as próprias capacidades e se tornar mais competitivo.

Muitas coisas estão envolvidas nisso. Uma boa comunicação escrita e verbal pode ajudar, a rede de relacionamentos que você conquista, a forma como trata as pessoas, as recordações que deixou nos lugares onde trabalhou ou por onde passou. Pense sempre que no caso do marketing pessoal o produto é o ser humano integral, com suas atitudes, preferências, defeitos, virtudes, aparência, habilidades, conhecimento, capacidade de adaptação e tantas outras variáveis que fazem parte de cada um de nós.

Quais tipos de atitudes atrapalham a imagem do profissional no seu ambiente de trabalho?

Mario Persona - 
O primeiro erro está em confundir marketing pessoal com propaganda e partir para a auto promoção. Embora a propaganda possa ser utilizada em uma estratégia de marketing pessoal, o melhor mesmo é a publicidade, que é criar meios para que as pessoas falem de você e deem um testemunho de sua competência. O problema de fazer uma auto promoção é que nem sempre o profissional está acertando o passo, ou ainda pode lhe faltar conhecimento e amadurecimento na atividade que desenvolve. Em suma, quando todo mundo fica sabendo de um produto e esse produto é ruim, desfazer essa impressão dá mais trabalho do que aprimorar o produto e deixar que as pessoas beneficiadas por ele comecem a falar a respeito.

O bom marketing pessoal está diretamente ligado à rede de relacionamentos. O que é preciso para manter os contatos profissionais?

Mario Persona - 
Sim, marketing pessoal tem tudo a ver com a rede de relacionamentos porque essa rede será a principal forma de promover a capacidade de alguém. Mas engana-se quem acha que rede de relacionamentos é algo que se obtém trocando cartões ou tendo uma conta no Orkut. Podemos conhecer um milhão de pessoas mas elas não significarem nada para nós. Então o verdadeiro relacionamento consiste em criar devedores, pessoas que beneficiamos de alguma forma, para que essas pessoas se sintam gratas por nossa atuação. Não é preciso muito para se fazer isso, quando entendemos de que as pessoas realmente necessitam ou o que as encanta.

Você defende a idéia de que a internet é uma ferramenta indispensável na construção de uma marca pessoal. Como o profissional deve aproveitar esse mundo virtual?

Mario Persona - 
É impossível criar o relacionamento ao qual me referi, dando algo para as pessoas e fazendo alguma forma de favor a elas, com milhares de contatos que conseguimos pela Internet. Mas é possível dar às pessoas algo usando a Internet, e esse algo é informação. Portanto, dependendo da habilidade de cada um, a pessoa deve analisar o que poderia agregar de valor à vida das pessoas usando a Internet e fazer isso. 

Há vários modos, mas o mais usual é a criação de um site ou blog de informações que o profissional possa compartilhar com outros. Eu mesmo tenho vários sites e blogs, tanto dentro de minha área de atuação profissional, como de áreas de meu interesse. Por exemplo, tenho um blog chamado "Quero ser palestrante" que criei com dicas para pessoas que querem seguir essa profissão, e tenho recebido vários e-mails de pessoas que dizem ser de grande auxílio para se iniciarem na profissão. 

Alguém poderia argumentar que um blog assim é um tiro no pé, por ensinar meus concorrentes ou até criar novos, mas não penso assim. Um blog assim cria um referencial maior e traz surpresas, como descobrir que o endereço aparece entre os primeiros em uma busca no Google pela palavra "palestrante". Como no blog tenho também informações de contato para minhas palestras, não raro recebo contatos de empresas interessadas em meu trabalho usando esse canal.

Outras formas de se utilizar a Internet para aprimorar seu marketing pessoal pode ser criar um software grátis para distribuir, como muita gente tem feito, ou coisas como arte, música, poesia, vídeos, aconselhamento... as possibilidades são infinitas. 

O mais importante é que todo profissional tenha um canal de comunicação via Internet, nem que seja um site ou blog com seu currículo. Antigamente, ao encontrarmos uma pessoa na rua, no transporte ou no elevador, o máximo que podíamos fazer era dizer poucas palavras sobre nossa capacidade e dar um cartão com nome e telefone. Hoje esse mesmo cartão pode ter ainda um e-mail e o importantíssimo endereço na Web, onde o outro poderá conseguir muito mais informação do que aquela que é possível escrever em um cartão ou falar no tempo de uma viagem de elevador.

Qual a diferença entre uma pessoa que faz marketing pessoal de outra que gosta de se auto-promover?

Mario Persona - 
A pessoa que gosta de se promover está preocupada consigo mesma, enquanto aquela que tem uma consciência de marketing pessoal está preocupada com as outras pessoas. Pense em uma empresa que faz um produto qualquer, coloca um preço que acha bom para enriquecer, e investe milhões em propaganda para anunciar que tem o melhor produto do mundo.

Agora pense em outra que faz pesquisas de mercado para saber o que as pessoas desejam ou o que pode agregar valor à vida delas, desenvolve um produto dentro das expectativas e capacidade de compra delas, cria um canal de comunicação para medir a satisfação dessas pessoas e ir adequando seu produto para melhorar esse índice de satisfação, e respeita esse seu público ao máximo. A primeira empresa não vai durar muito no mercado, porém a última acabará se tornando uma empresa centenária e o boca-a-boca que irá criar terá um poder maior do que milhões gastos com propaganda. Essa é também a diferença entre um profissional que gosta de se auto-promover e um que está atento e desejoso de encantar as pessoas com as quais se relaciona.

O que é preciso para falar de sua capacidade profissional sem ser exibicionista?

Mario Persona - 
Quanto menos adjetivos você usar, melhor. Por exemplo, eu costumo divulgar que sou escritor e palestrante, e em meu site você encontra os livros que escrevi, os temas que trato em minhas palestras e as empresas que já me contrataram, sem muitos adjetivos. Além disso, para criar aquele tipo de relacionamento ao qual me referi eu distribuo muita informação de graça, como crônicas que escrevo periodicamente sobre carreira, comunicação e marketing e até um e-book para quem quer criar uma presença na Internet. 

Isso já dá uma amostra grátis daquilo que eu disse ser, isto é, escritor. Como também anuncio que sou palestrante, você encontra vários vídeos no Youtube com trechos de palestras, entrevistas ou mesmo textos narrados diante da câmera. Quem lê meus textos e assiste meus vídeos tira suas conclusões, não preciso encher de adjetivos do tipo "O escritor mais vendido", mesmo porque não passo perto disso, ou "O palestrante mais solicitado do Brasil", como já vi alguns fazerem. Ao contrário, em meu perfil, que chamo de TVBarbante, no Youtube, coloquei um banner que diz: "2 ou 3 empresas já contrataram Mario Persona". Quem clicar lá vai parar em uma página com algumas centenas de clientes, mas deixo que ele descubra isso. O bom humor também é uma maneira de se promover sem ser tachado de exibicionista.

É possível uma pessoa tímida desenvolver seu marketing pessoal? Como?

Mario Persona -
 Sim, se sua área de atuação não exigir dela a capacidade de uma pessoa extrovertida. Pense em um pianista. Ele não precisa saber falar bem, ele precisa tocar bem. No mercado de trabalho pode ser que uma pessoa tímida precise de ajuda para se posicionar bem, mas a tecnologia está aí para isso. Se você é um programador que morre de medo de conversar com as pessoas, mesmo assim poderá se tornar conhecido no meio virtual e fazer com que isso conte pontos na hora de uma contratação na hora de uma entrevista e contratação no mundo real. 

Hoje, alguém que faz um nome na Web, pode muito bem chegar na frente de seu entrevistador e dizer: "Digita aí no Google Fulano de Tal", ou então o nome de seu site ou de algo de valor que está fazendo na rede. Imagine a surpresa do entrevistador quando descobrir que o Fulano de Tal sentadinho ali na frente dele é famosíssimo na Web, graças a um software que desenvolveu, ao blog que escreve, aos comentários que deixa nos sites de livrarias, aos fóruns de discussão onde discute física quântica, ou à sua participação em ONGs ou no desenvolvimento de software livre. 

Evidentemente o Fulano de Tal precisa se resguardar para essa busca não revelar que ele vive em comunidades de pedófilos, só deixa palavrões nos comentários que faz em blogs ou tem seu nome em processos na justiça, coisa que hoje costuma aparecer em buscas na Web.

Qual o melhor momento da carreira para investir em marketing pessoal e na construção de uma marca própria ? Por quê?

Mario Persona -
 O melhor momento é no berço, na formação de um caráter, porque tudo o que eu disse aqui depende disso. Uma pessoa de caráter questionável dificilmente conseguirá conquistar e cativar um público com gentilezas e valor a ser agregado a esse público. E, depois que cresce, provavelmente será esse Fulano de Tal que acabará flagrado em uma busca nessa Web na qual estamos cada vez mais expostos, seja por nossas virtudes, como por nossos defeitos.

Entrevista concedida para o Jornal Oportunidades Cursos e Concursos, da Rede Gazeta de Vitória/ES em 07/01/2009.

Entrevistas como esta costumam ser feitas para a elaboração de matérias, portanto nem tudo acaba sendo publicado. Eventualmente são aproveitadas apenas algumas frases a título de declarações do entrevistado. Para não perder o que eu disse na hora, costumo gravar ou dar entrevistas por escrito. A íntegra do que foi falado você encontra aqui. 

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Veja emwww.mariopersona.com.br 

UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

Com seu estilo inconfundível, o palestrante Mario Persona transforma grandes questões em conceitos simples e de fácil compreensão para qualquer audiência.

Um fino senso de humor e talento de cronista, aliados à experiência empresarial, lhe permitem extrair do banal o extraordinário e transformar "causos" corriqueiros em analogias perfeitas para a vida, carreira e negócios.

Para saber mais sobre o palestrante
clique aqui ou entre em contato para
receber uma proposta. Ou ligue para
(19) 99870-7899 / 99789-7939
contato@mariopersona.com.br

Laura Loft - Diário de uma recepcionista
Laura Loft
Diário de uma recepcionista
Marketing de Gente
Marketing
de Gente
Receitas de Grandes Negócios
Receitas de
Grandes Negócios
Gestão de Mudanças
Gestão de
Mudanças
Crônicas de uma Internet de verão
Crônicas de uma
Internet de verão
Marketing Tutti-Frutti
Marketing
Tutti-Frutti
Dia de Mudança
Dia de
Mudança
Crônicas para ler depois do fim do mundo
Crônicas para ler
depois do fim do mundo
Eu quero um refil!
Eu quero
um refil!
Meu carro sumiu!
Meu carro
Sumiu!
Moving ON
Moving
ON
Uma luta pela vida
Uma luta pela vida
Lia Persona Hadley
O Evangelho em 3 minutos - Mateus
O Evangelho em 3 minutos
Mateus
O Evangelho em 3 minutos - João
O Evangelho em 3 minutos
João
O que respondi - Vol. 1
O que respondi
Vol. 1
O que respondi - Vol. 2
O que respondi
Vol. 2
O que respondi - Vol. 3
O que respondi
Vol. 3
O que respondi - Vol. 4
O que respondi
Vol. 4
O que respondi - Vol. 5
O que respondi
Vol. 5
O que respondi - Vol. 6
O que respondi
Vol. 6
O que respondi - Vol. 7
O que respondi
Vol. 7
O que respondi - Vol. 8
O que respondi
Vol. 8
O que respondi - Vol. 9
O que respondi
Vol. 9
Você encontra os livros de Mario Persona também nestes endereços: