ENTREVISTA

Home-Office - Trabalhar em casa

Quais as vantagens e desvantagens de se trabalhar em casa?

Mario Persona -
 A principal vantagem de se trabalhar em casa é o ganho em tempo e qualidade de vida. As horas gastas no trânsito fazem uma grande diferença na produtividade de quem trabalha em casa. 

Outra vantagem, que também está relacionada com o fator tempo, está nos horários que podem ser escolhidos segundo o biorritmo do profissional. Pessoas que são mais produtivas à noite podem ir até altas horas sem precisarem se preocupar com o retorno para casa. E outros, como eu, que são madrugadores, podem aproveitar as horas mais silenciosas e criativas que precedem o nascer do sol.

Há ainda a questão da redução de custos, que leva muitos profissionais liberais e até mesmo empresas a adotarem o modelo home-office. Com o barateamento dos equipamentos e sistemas de informação, e com o acesso à Internet banda-larga, qualquer ambiente doméstico pode estar em pé de igualdade com os ambientes empresariais mais bem equipados.

As desvantagens vão depender muito do tipo de atividade. Muitas podem ser contornadas com um bom planejamento e adequação do espaço que será usado para trabalhar, além de uma mudança cultura que necessariamente deve ocorrer na família. 

Talvez a maior desvantagem esteja na falta de contato pessoal diário com colegas, o que é importante para a geração de idéias e até mesmo como forma de aprender. Sistemas de chat e vídeo ajudam a amenizar isso, e ainda abrem a possibilidade de interagir com pessoas em outros países.

Quanto de disciplina é necessário?

Mario Persona - 
Disciplina é um ponto importante, pois no começo o profissional se sente como se todos os dias fossem domingo. Parece não existir nada que o impeça de passar a tarde vendo um jogo na TV, acordar mais tarde ou mesmo visitar a geladeira de cinco em cinco minutos. É preciso uma espécie de reeducação para a coisa funcionar. 

Por outro lado, ao contrário do ambiente da empresa, nem tudo é ferro e fogo no home-office. Numa empresa você não pode cochilar, ainda que esteja com aquela gripe ou sinta um vácuo de idéias e motivação em seu cérebro. Como todo mundo tem seus momentos assim, na empresa as pessoas fazem de conta que trabalham, ficam olhando para o monitor como se enxergasse através dele, ou simplesmente deixam o paletó no encosto da cadeira para fazer de conta que estão trabalhando, e vão perder tempo no banheiro, nos corredores ou até na rua.

Eu posso me dar ao luxo de parar de trabalhar a hora que bem entender, se não me encontro em um bom dia ou com absoluta falta de condições de produzir. Posso ver um filme ou tirar aquela soneca que seria impossível na empresa convencional. Se as idéias surgirem mais tarde, começo a trabalhar, o que pode acontecer em um horário no qual a maioria das pessoas está voltando para casa. É claro que se esse filme ou soneca virar rotina, aí a coisa não vai funcionar.

Como evitar que a atenção se disperse com as comodidades da casa?

Mario Persona - 
É preciso ter um ambiente adequado para o trabalho, um lugar que você enxergue como sua área produtiva. Eu tenho um escritório em meu apartamento, mas também posso pegar o notebook e ir para o sofá da sala, se achar que é mais confortável, graças à rede sem fio. Mas não posso fazer isso se outras pessoas estiverem usando a sala para outras atividades, daí a necessidade de um ambiente exclusivo para o trabalho ou, quando isso não é possível, de estabelecer horários.

Como adotar uma postura profissional dentro de casa?

Mario Persona - 
Normalmente quem trabalha em casa não vai receber clientes ali, portanto não há uma grande mudança na postura de quem trabalha em home-office. Não vejo problema algum em trabalhar de bermudas ou outra roupa confortável, descalço e com um copo de suco gelado na mão. 

Se existir um número muito grande de clientes que ligam para o profissional, o jeito é contratar um serviço de atendimento terceirizado para resolver as coisas menos importantes, anotar recados, redirecionar chamados e coisas assim. 

Quando é preciso ligar para um cliente, ou quando ele liga para seu celular, não vai ser muito diferente daquilo que hoje já fazemos com a mobilidade que o celular trouxe a quem trabalha. Você já deve ter se surpreendido com gente conversando com clientes e tratando de negócios em banheiro de aeroporto. A vantagem de atender um cliente no banheiro de sua casa é que é mais silencioso e você não corre o risco de seu vizinho dar a descarga na hora da ligação, como acontece nos aeroportos.

Como ficam as regras de ergonomia? Levar o notebook para o sofá é grave ou pode representar algum benefício?

Mario Persona - 
Tudo vai depender da hora, do objetivo, do tipo de trabalho que será feito. Se preciso fazer pesquisas e buscas, por exemplo, posso muito bem fazer isso sentado no sofá. Aqui aplica-se a mesma regra que falei do uso do celular em qualquer lugar. Muita gente hoje trabalha em qualquer lugar com seu notebook, em aviões, salas de espera ou até no carro, contanto que não seja o próprio motorista.

Como regular os horários e evitar o sedentarismo?

Mario Persona -
 Aí entra a disciplina e um programa de atividades extras. Um dos grandes problemas de se trabalhar em casa é virar um workholic e não ter mais tempo para começar e terminar o trabalho. Isso acontece quando a casa toda, e não apenas a atividade ou o quarto usado para escritório, passa a ser vista como local de trabalho. Então ao por o pé em casa o profissional se sente como se tivesse chegado ao emprego, e até de dormir ele acaba se esquecendo. É preciso estabelecer horários e criar uma cultura adequada para se trabalhar em casa.

É possível trabalhar com uma equipe de Home Officers? Quais seriam os maiores desafios?

Mario Persona - 
Sim, isso é muito comum hoje, principalmente pela facilidade que existe de se compartilhar aplicativos via Internet. O contato pessoal pode fazer alguma falta, e acredito que o maior desafio será encontrar pessoas que compartilhem de um mesmo nível de absorção tecnológica. Você não conseguirá trabalhar em equipe se as pessoas não aprenderem a diferença entre ferramentas de comunicação de uso síncrono e assíncrono.

Uma ferramenta síncrona exige que os dois ou mais interessados estejam disponíveis, como acontece com o telefone ou teleconferência. Já uma ferramenta assíncrona não depende de disponibilidade, como ocorre com o email e secretária eletrônica. Meu interlocutor irá ler ou ouvir quando for mais conveniente para ele. 

Alguém que não consegue trabalhar sem conversar provavelmente fará seus colegas perderem tempo. No ambiente de trabalho convencional uma pessoa assim não atrapalha tanto porque podemos continuar trabalhando e filtrando a conversa. Se não achamos importante, simplesmente desligamos a atenção ou mantemos nosso olhar focado no trabalho. Você não consegue fazer o mesmo se o sujeito ligar para você toda vez que desejar contar alguma novidade. Atender o telefone exige a interrupção do trabalho e uma atenção maior. 

No caso de possuir animais domésticos e/ou filhos em casa, como proceder? 

Mario Persona - 
Tudo vai depender do tipo de atividade e do relacionamento que o profissional tem com seus clientes. Há pessoas que trabalham muito bem com cachorros latindo, crianças chorando e máquina de lavar roupa funcionando a mil. Outras precisam de silêncio para se concentrar. Neste caso é imprescindível que se construa um escritório isolado do barulho da casa, porque não se pode impedir que o resto da família tinha uma vida normal. 

De qualquer modo será preciso um mínimo de compreensão da parte dos outros membros da família para com a atividade que é feita em casa, determinando horários e condições para as interrupções que forem necessárias. Se o profissional costuma receber ligações de clientes, é melhor que contrate um serviço de atendimento para isso, ainda que seja apenas para passar para o cliente seu número residencial ou do celular e deixar claro que naquela hora ele está em casa. Aí o cliente vai entender se ouvir o choro de um bebê.


Entrevista concedida para o site Empregos em 18/09/2008.

Entrevistas como esta costumam ser feitas para a elaboração de matérias, portanto nem tudo acaba sendo publicado. Eventualmente são aproveitadas apenas algumas frases a título de declarações do entrevistado. Para não perder o que eu disse na hora, costumo gravar ou dar entrevistas por escrito. A íntegra do que foi falado você encontra aqui. Se achar que este texto pode ajudar alguém, use o formulário abaixo para compartilhar.

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Veja emwww.mariopersona.com.br

UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

Com seu estilo inconfundível, o palestrante Mario Persona transforma grandes questões em conceitos simples e de fácil compreensão para qualquer audiência.

Um fino senso de humor e talento de cronista, aliados à experiência empresarial, lhe permitem extrair do banal o extraordinário e transformar "causos" corriqueiros em analogias perfeitas para a vida, carreira e negócios.

Para saber mais sobre o palestrante
clique aqui ou entre em contato para
receber uma proposta. Ou ligue para
(19) 99870-7899 / 99789-7939
contato@mariopersona.com.br

Laura Loft - Diário de uma recepcionista
Laura Loft
Diário de uma recepcionista
Marketing de Gente
Marketing
de Gente
Receitas de Grandes Negócios
Receitas de
Grandes Negócios
Gestão de Mudanças
Gestão de
Mudanças
Crônicas de uma Internet de verão
Crônicas de uma
Internet de verão
Marketing Tutti-Frutti
Marketing
Tutti-Frutti
Dia de Mudança
Dia de
Mudança
Crônicas para ler depois do fim do mundo
Crônicas para ler
depois do fim do mundo
Eu quero um refil!
Eu quero
um refil!
Meu carro sumiu!
Meu carro
Sumiu!
Moving ON
Moving
ON
Uma luta pela vida
Uma luta pela vida
Lia Persona Hadley
O Evangelho em 3 minutos - Mateus
O Evangelho em 3 minutos
Mateus
O Evangelho em 3 minutos - João
O Evangelho em 3 minutos
João
O que respondi - Vol. 1
O que respondi
Vol. 1
O que respondi - Vol. 2
O que respondi
Vol. 2
O que respondi - Vol. 3
O que respondi
Vol. 3
O que respondi - Vol. 4
O que respondi
Vol. 4
O que respondi - Vol. 5
O que respondi
Vol. 5
O que respondi - Vol. 6
O que respondi
Vol. 6
O que respondi - Vol. 7
O que respondi
Vol. 7
O que respondi - Vol. 8
O que respondi
Vol. 8
O que respondi - Vol. 9
O que respondi
Vol. 9
Você encontra os livros de Mario Persona também nestes endereços: