ENTREVISTA

Como pedir aumento

O que devemos considerar antes de pedir aumento?

Mario Persona - 
O primeiro passo é verificar se a pessoa que trabalha tem poder de barganha, se possui algo que possa interessar ao empregador, algum tipo de moeda de troca. A relação de um profissional com a empresa que o contrata é de a um vendedor de seus talentos e habilidades. A empresa paga pelo que seu colaborador sabe fazer e faz, portanto é preciso que ele tenha esta bagagem - saber e fazer - se quiser solicitar um aumento.

Sem entrar na questão de dissídios e aumentos naturais, aos quais pode-se ter direito independente de ser competente ou não, ao solicitar um aumento o profissional deve fazer uma auto-análise para identificar o que possui de valor agregado que não tinha quando começou a ganhar o salário atual. Esse valor agregado pode ser uma nova atividade que esteja desempenhando, um curso de especialização que fez, a fluência em um novo idioma que agora já utiliza na empresa, algo de novo que agora esteja oferecendo no desempenho de sua função e qualquer outra coisa pela qual gostaria de ser recompensado. Quando vamos comprar um carro, estamos dispostos a pagar mais pelos equipamentos adicionais, portanto o profissional deve saber identificar que adicionais ele agregou às suas competências antes de pleitear um aumento.

Outra possibilidade é negociar uma nova função baseado em novas habilidades que agora ele possui, mas que ainda não esteja sendo capaz de colocar em prática na função atual. Se ele perceber uma possibilidade de colocar essas habilidades em prática, já é um bom começo para negociar um pedido de aumento. Mas, repetindo, é sempre importante ter em mente que um pedido de aumento deve ser encarado como uma negociação onde o upgrade no salário corresponde a um upgrade na função ou atividades que exerce.

Qual é a melhor hora para falar com o chefe sobre o assunto?

Mario Persona - 
Vai depender muito do chefe, e cada um deve observar como o chefe reagiu em casos semelhantes com os colegas. Há pessoas que podem muito bem ser abordadas no café ou durante uma oportunidade de almoçarem juntos, de maneira bastante informal. Outros têm um estilo que exigirá que o profissional marque uma reunião formal para discutir o assunto. É importante nunca tocar nisso com outras pessoas por perto, pois isso poderia criar uma situação constrangedora para o chefe ou mesmo para o profissional. Remuneração é assunto particular em qualquer empresa e deve ser tratado também em um contato privativo. Um erro comum é discutir com colegas ou espalhar a notícia de que o profissional pretende pedir aumento.

Quando devemos evitar o pedido de aumento?

Mario Persona - 
Se as coisas não vão bem com a empresa ou se existe uma retração no mercado e a possibilidade de cortes, é claro que um pedido de aumento poderá chegar em hora errada, ou até dar uma idéia de quem deve sair primeiro. Se existir um clima de metas conquistadas, então o momento é mais propício. O profissional deve ter percepção para tanto. Eventos externos também podem influir, como uma doença na família do chefe ou um problema particular que esteja passando, o time do chefe perdeu, outros colegas já foram pedir e não conseguiram... Não existe uma regra, é tudo uma questão de percepção e bom senso.

Se o profissional conseguiu marcar um gol, fez uma venda muito boa, conquistou um novo cliente ou realizou um trabalho que foi elogiado, essa pode ser uma hora propícia. É importante ter também um "Plano B", caso as circunstâncias da empresa ou o perfil do chefe criem condições contrárias a qualquer conversa sobre aumento. Se o profissional tiver uma alternativa, um segundo emprego em vista ou uma boa poupança, isto é, uma rota de fuga para o caso de tudo dar errado, ele pode engrossar um pouco mais a voz, fazer mais exigências e negociar em uma posição mais confortável. Caso não tenha para onde ir, então é bom fazer o pedido com calma e, em qualquer circunstância, muito bem embasado em dados e informações sobre sua função e sobre o que outros profissionais em funções semelhantes estão ganhando naquela ou em outras empresas.

Como reagir se o pedido for negado?

Mario Persona -
 Dificilmente isso acontecerá na forma de um "não" puro e simples. Seu chefe provavelmente irá alegar dificuldades da empresa, do mercado, do câmbio etc. Quando isso acontecer e o profissional perceber que os argumentos são válidos, ele deve se mostrar cordato, compreensivo e tentar um caminho do meio, algo que já deveria ter em mente antes mesmo de entrar para negociar o pedido. Quando não existir mesmo de onde tirar o aumento em espécie, o jeito é negociar algum benefício, como um plano de saúde, caso ainda não tenha, ajuda de custeio para um curso de especialização ou qualquer coisa que possa representar um ganho. 

Se os argumentos do chefe forem no sentido de denegrir o trabalho do profissional, ele deve tomar cuidado para verificar se o chefe não está com a razão. Por exemplo, o chefe pode alegar que o profissional chega tarde, sai cedo, perde muito tempo no café, conversa demais com os colegas ou, ao contrário, tem dificuldades de relacionamento, cometeu este ou aquele erro... Se o chefe tiver argumentos assim, o jeito é colocar o rabo entre as pernas e ir tratar de aprimorar sua conduta e maneira de trabalhar.


[Entrevista concedida ao caderno de economia do Jornal "A Crítica" de Manaus em 26/06/2007 para uma matéria sobre pedido de aumento no emprego. Entrevistas como esta costumam ser feitas para a elaboração de matérias, portanto nem tudo acaba publicado. Eventualmente são aproveitadas apenas algumas frases a título de declarações do entrevistado. Para não perder o que disse na hora e posso nunca mais conseguir dizer, costumo gravar ou dar entrevistas por escrito. A íntegra do que foi falado você encontra aqui. ]

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Veja emwww.mariopersona.com.br 

UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

Com seu estilo inconfundível, o palestrante Mario Persona transforma grandes questões em conceitos simples e de fácil compreensão para qualquer audiência.

Um fino senso de humor e talento de cronista, aliados à experiência empresarial, lhe permitem extrair do banal o extraordinário e transformar "causos" corriqueiros em analogias perfeitas para a vida, carreira e negócios.

Para saber mais sobre o palestrante
clique aqui ou entre em contato para
receber uma proposta. Ou ligue para
(19) 99870-7899 / 99789-7939
contato@mariopersona.com.br

Laura Loft - Diário de uma recepcionista
Laura Loft
Diário de uma recepcionista
Marketing de Gente
Marketing
de Gente
Receitas de Grandes Negócios
Receitas de
Grandes Negócios
Gestão de Mudanças
Gestão de
Mudanças
Crônicas de uma Internet de verão
Crônicas de uma
Internet de verão
Marketing Tutti-Frutti
Marketing
Tutti-Frutti
Dia de Mudança
Dia de
Mudança
Crônicas para ler depois do fim do mundo
Crônicas para ler
depois do fim do mundo
Eu quero um refil!
Eu quero
um refil!
Meu carro sumiu!
Meu carro
Sumiu!
Moving ON
Moving
ON
Uma luta pela vida
Uma luta pela vida
Lia Persona Hadley
O Evangelho em 3 minutos - Mateus
O Evangelho em 3 minutos
Mateus
O Evangelho em 3 minutos - João
O Evangelho em 3 minutos
João
O que respondi - Vol. 1
O que respondi
Vol. 1
O que respondi - Vol. 2
O que respondi
Vol. 2
O que respondi - Vol. 3
O que respondi
Vol. 3
O que respondi - Vol. 4
O que respondi
Vol. 4
O que respondi - Vol. 5
O que respondi
Vol. 5
O que respondi - Vol. 6
O que respondi
Vol. 6
O que respondi - Vol. 7
O que respondi
Vol. 7
O que respondi - Vol. 8
O que respondi
Vol. 8
O que respondi - Vol. 9
O que respondi
Vol. 9
Você encontra os livros de Mario Persona também nestes endereços: