ENTREVISTA

Qualidade de vida

O que significa o conceito Qualidade de Vida?

Mario Persona -
 No seu sentido mais genérico o termo abrange aspectos econômicos, políticos e sociais de uma população. Neste sentido amplo a qualidade de vida costuma ser analisada levando-se em conta índices de criminalidade, saneamento básico, acesso a serviços públicos, expectativa de vida etc. Geralmente eu utilizo o termo dentro de um universo menor em minhas palestras para aplicá-lo mais ao indivíduo e à esfera que ele pode atingir diretamente com mudanças em sua forma de agir. 

Nem sempre estamos aptos a alterar as circunstâncias globais que interferem na qualidade de vida como um todo, mas certamente temos um grande poder de melhorar a qualidade de vida em círculos menores, como nossa casa, nosso condomínio, nossa escola, nossa empresa ou até a comunidade em sua esfera mais próxima. Aí sim existe muita coisa que cada um pode fazer que terá um impacto imediato neste círculo menor, e evidentemente acabará tendo também um impacto mais de longo prazo em toda a sociedade. 

Um exemplo disso é a iniciativa de muitos condomínios que hoje já possuem um sistema de coleta seletiva de lixo que permite a separação de material reciclável. O impacto disso ocorre não apenas no meio ambiente, como também nos recursos gerados para muitas ONGs que fazem a coleta de lixo reciclável. Outra iniciativa de condomínios que começa a se tornar mais popular é a coleta de água da chuva para ser utilizada na lavagem de calçadas e garagens, reduzindo ou até eliminando o consumo de água tratada que é gasta com esta finalidade.

Quando exatamente a sociedade passou a se pensar mais seriamente nesse tema?

Mario Persona - 
Cremos que foi quando passamos a perceber a interdependência que existe entre todas as coisas e também quando nos demos conta de como são finitos os recursos desta nossa espaçonave Terra e de seus astronautas. Quando é possível aproveitar melhor tanto os recursos ao nosso redor, como nossos próprios recursos de saúde física e mental, obtemos um contexto que nos proporciona uma vida de melhor qualidade e desfrutamos de maior bem estar. 

Sempre existiram iniciativas individuais voltadas a uma melhoria na qualidade de vida, porém a consciência dessa interdependência nos levou a perceber que, ainda que eu cuide de minha saúde, ela depende, em muitos aspectos, da saúde do ambiente no qual estou inserido, começando a partir de mim mesmo, minha própria casa e família, e se ampliando para o condomínio, a comunidade, o país e o mundo. 

É fácil perceber essa interdependência e como ela nos afeta. A água que eu consumo veio de algum lugar e irá para algum lugar, portanto o modo como alguém tratou essa água antes de mim terá um impacto em minha saúde, que é um dos componentes do conjunto que determina a qualidade de vida de uma pessoa ou população. Quando percebemos o que é qualidade de vida e como obtê-la até mesmo numa esfera individual, passamos a ter obrigatoriamente uma visão holística. 

Antigamente alguém que buscasse qualidade de vida para si costumava se mudar para uma chácara e achava que tudo ficava resolvido, mas hoje não. Qualquer ação humana extrapola o círculo individual e conquista círculos maiores, gerando um crescimento exponencial. Se isso é válido para as coisas que afetam negativamente nossa qualidade de vida, é válido também para as coisas positivas, como a conscientização cada vez maior das pessoas para com isso, e as iniciativas que também passam a ter um impacto cada vez mais abrangente.

Falando de Qualidade de Vida, como anda o Brasil se compararmos a situação de nosso país com a de outros países da América do Sul e do mundo?

Mario Persona -
 O Brasil tem melhorado muito neste sentido, e creio que os meios de comunicação e o maior acesso à educação têm ajudado muito. Uma pessoa não irá enxergar as vantagens da água tratada e encanada, por exemplo, até descobrir que outras pessoas estão sendo beneficiadas com isso. Portanto, a disseminação da informação é vital na melhoria da qualidade de vida de uma população. 

Toda essa preocupação que vemos hoje na mídia com meio ambiente, longevidade, alimentação saudável, prática de esportes e outras ações voltadas à melhoria da qualidade de vida individual e coletiva, têm um impacto cada vez maior também graças ao acesso às novas tecnologias. Quando uma escola ganha computadores com acesso à Internet, por exemplo, aumenta a possibilidade desse conhecimento chegar às camadas mais jovens da população e causar um impacto e uma mudança justamente no grupo responsável pelos próximos índices de desenvolvimento humano do país, que são utilizados para se determinar o nível de qualidade de vida. A educação de qualidade é a base para a qualidade de vida numa sociedade, e felizmente o Brasil está tendo avanços importantes neste sentido.

Existe algum país que pode ser considerado como um exemplo de Qualidade de Vida?

Mario Persona - 
Considerando que qualidade de vida nem sempre é decorrente do acúmulo de riqueza, não são os países mais ricos os que oferecem uma melhor qualidade de vida. Hoje países como Islândia, Noruega e Canadá possuem um nível elevado de qualidade de vida, quando avaliados segundo um índice de desenvolvimento humano, que leva em consideração não apenas a riqueza, mas também saúde, educação e outros aspectos. 

Mesmo assim a noção de qualidade de vida é bastante subjetiva e difícil de ser determinada com exatidão, pois há outros fatores envolvidos, como a condição psicológica de uma determinada população, ou também aspectos culturais e religiosos. Há países que podem aparentar uma excelente qualidade de vida, mas possuírem um índice de suicídios que revela problemas ocorrendo sob a superfície. 

Ainda que se possa proporcionar a uma população uma renda per capita elevada, uma boa educação e também uma infra-estrutura física de qualidade em todos os sentidos, isso pode não significar que os indivíduos que compõem essa população serão mais felizes do que aqueles que vivem em uma sociedade relativamente mais atrasada. Por exemplo, um membro de uma tribo nômade da Mongólia pode ser mais feliz morando em sua tenda e viajando a cavalo, do que um habitante de Manhattan morando em um apartamento no Central Park e com um carro de luxo na garagem.

Por que o cuidado com a Qualidade de Vida é tão importante para o ser humano?

Mario Persona - 
Olhando do ponto de vista da sociedade, uma população que tem suas necessidades atendidas de forma eficiente e dispõe de meios para ter uma vida mais saudável e longeva será mais produtiva e estará menos propensa a gerar convulsões sociais. A competitividade, que é natural ao ser humano, acontecerá nas realizações individuais e nos esportes, por exemplo, e não em sublevações, como normalmente vemos nos países mais carentes. 

Mas, por outro lado, não se pode negar que na história humana foram sempre as sociedades mais instáveis que produziram as maiores mudanças, pois a criatividade também está ligada à instabilidade, como diz o ditado: “A necessidade é a mãe da invenção”. As guerras foram responsáveis pela maior parte do conforto que hoje desfrutamos em termos tecnológicos, e períodos conturbados, como o renascentista, foram responsáveis por grandes avanços artísticos e tecnológicos. O ser humano não é tão simples assim, que possa viver em um estado ótimo de realização social e, ao mesmo tempo, continuar criativo e realizador. Alguns países da Europa viram o aumento do vício em drogas e da apatia para com a vida caminhar lado a lado com a melhoria de seus índices de qualidade de vida na esfera social e individual.

Do ponto de vista econômico, uma sociedade com um índice elevado de desenvolvimento também é mais eficiente na geração dos recursos para manter esse índice. A razão disso é que uma população saudável, com uma boa educação e condições para empreender terá uma vida mais longa para consumir produtos e serviços, gerando assim crescimento por um maior período, além de ter educação suficiente para identificar e consumir produtos e serviços de maior valor agregado.

Falando do ambiente empresarial, por que ainda existe um grande número de empresas que não tratam com carinho esse assunto tão importante?

Mario Persona - 
Toda sociedade passa por etapas de desenvolvimento, e via de regra as primeiras etapas são de uma cultura predatória. Qualquer empresa funcionando em modo predatório não será capaz de enxergar e valorizar ganhos de longo prazo, como é o caso do investimento em melhor qualidade de vida. 

Incentivar a Qualidade de Vida no ambiente de trabalho exige grande investimento?

Mario Persona -
 Não tanto quanto as pessoas imaginam. Proporcionar uma melhor qualidade de vida no ambiente de trabalho não significa apenas trabalhar as necessidades físicas desse ambiente, mas principalmente criar uma cultura de qualidade de vida. Isto é feito investindo mais em comunicação e ensino, do que em mudança no ambiente físico.

Trabalhar o clima organizacional é o primeiro passo para se obter melhor qualidade de vida no trabalho, e é nesse processo que serão, não apenas identificadas as necessidades de investimento em infra-estrutura física, mas esses mesmos investimentos serão melhor reconhecidos e aproveitados. Uma empresa com um clima organizacional ruim não produzirá melhor qualidade de vida simplesmente equipando melhor sua equipe ou investindo em mudanças no ambiente físico. Ainda que o faça, sem uma cultura organizacional adequada essas mudanças não serão percebidas como melhorias e acabarão sendo mal aproveitadas.

Qual o grande desafio a ser superado, quando falamos de Qualidade de Vida para funcionários de condomínios?

Mario Persona - 
Do mesmo modo como acontece em uma empresa, existe um clima organizacional no condomínio e este depende em muito da atitude de moradores e funcionários. Tudo começa na formação da equipe, que deve ser bem selecionada e treinada, além de equipada de forma adequada para o desempenho de suas tarefas. A outra parte responsável no sucesso dessa equipe são, obviamente, os moradores. 
Se estes não reconhecerem a equipe como valor responsáveis, não só pela eficiência dos serviços, mas também por um clima propício no ambiente onde atuam, não será possível criar um ambiente de qualidade para o trabalho dessas pessoas. Acredito até que em alguns casos é até mais fácil resolver isso do lado dos funcionários do que dos moradores, porque estes não podem ser contratados e demitidos com base em seu bom ou mal desempenho.

Os condomínios são praticamente minicidades, que costumam empregar um número razoável de pessoas. O que pode ser feito para tornar o ambiente de trabalho desses indivíduos mais agradável e seguro?

Mario Persona -
 A comunicação é essencial nos condomínios, e percebo que existe uma grande deficiência disso. Na maioria dos condomínios os moradores não têm idéia das coisas que são realizadas ali, ou da forma como são realizadas. Nem todos têm condições de participar das reuniões, e os que não puderam ter acesso direto às informações trocadas nessas reuniões, costumam receber uma ata do que foi conversado e decidido. O problema é que, numa sociedade de informação rápida, sucinta e atraente como esta em que vivemos, comunicar algo por meio de atas é o mesmo que não comunicar, porque as pessoas simplesmente não terão tempo e vontade para ler algo escrito no mesmo formato que era feito há cem anos. 

A maioria das administradoras não prevê em seu cardápio de serviços um canal eficaz de comunicação entre o condomínio e seus moradores e funcionários. Muitos dos problemas que acontecem em condomínios resultam de uma comunicação deficiente. É evidente que isso acaba interferindo negativamente no trabalho da equipe e principalmente em sua motivação. Se eu trabalho em um local onde ninguém faz idéia da importância daquilo que faço, certamente meu trabalho passará despercebido e não terei qualquer incentivo, além de meu salário, para trabalhar melhor.

Entrevista concedida à Revista Síndico em 15/07/2009.

Entrevistas como esta costumam ser feitas para a elaboração de matérias, portanto nem tudo acaba sendo publicado. Eventualmente são aproveitadas apenas algumas frases a título de declarações do entrevistado. Para não perder o que eu disse na hora da entrevista, costumo gravar ou dar entrevistas por escrito. A íntegra do que foi falado você encontra aqui. Se achar que este texto pode ajudar alguém, use o formulário abaixo para compartilhar.

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Veja emwww.mariopersona.com.br

UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

Com seu estilo inconfundível, o palestrante Mario Persona transforma grandes questões em conceitos simples e de fácil compreensão para qualquer audiência.

Um fino senso de humor e talento de cronista, aliados à experiência empresarial, lhe permitem extrair do banal o extraordinário e transformar "causos" corriqueiros em analogias perfeitas para a vida, carreira e negócios.

Para saber mais sobre o palestrante
clique aqui ou entre em contato para
receber uma proposta. Ou ligue para
(19) 99870-7899 / 99789-7939
contato@mariopersona.com.br

Laura Loft - Diário de uma recepcionista
Laura Loft
Diário de uma recepcionista
Marketing de Gente
Marketing
de Gente
Receitas de Grandes Negócios
Receitas de
Grandes Negócios
Gestão de Mudanças
Gestão de
Mudanças
Crônicas de uma Internet de verão
Crônicas de uma
Internet de verão
Marketing Tutti-Frutti
Marketing
Tutti-Frutti
Dia de Mudança
Dia de
Mudança
Crônicas para ler depois do fim do mundo
Crônicas para ler
depois do fim do mundo
Eu quero um refil!
Eu quero
um refil!
Meu carro sumiu!
Meu carro
Sumiu!
Moving ON
Moving
ON
Uma luta pela vida
Uma luta pela vida
Lia Persona Hadley
O Evangelho em 3 minutos - Mateus
O Evangelho em 3 minutos
Mateus
O Evangelho em 3 minutos - João
O Evangelho em 3 minutos
João
O que respondi - Vol. 1
O que respondi
Vol. 1
O que respondi - Vol. 2
O que respondi
Vol. 2
O que respondi - Vol. 3
O que respondi
Vol. 3
O que respondi - Vol. 4
O que respondi
Vol. 4
O que respondi - Vol. 5
O que respondi
Vol. 5
O que respondi - Vol. 6
O que respondi
Vol. 6
O que respondi - Vol. 7
O que respondi
Vol. 7
O que respondi - Vol. 8
O que respondi
Vol. 8
O que respondi - Vol. 9
O que respondi
Vol. 9
Você encontra os livros de Mario Persona também nestes endereços: