ENTREVISTA

DIVERSÃO E ÓCIO CRIATIVO NO TRABALHO

Fui entrevistado pelo site Vila Mulher para uma matéria sobre a importância de uma estratégia de diversão, ócio criativo e entretenimento na empresa para reduzir o estresse e aumentar a produtividade. A íntegra da entrevista você encontra aqui.

http://youtu.be/D2ozDVnytkE


Entrevista site Vila Mulher - 04/02/11


P - Como se divertir no trabalho?

Mario Persona - 
Divertir-se no trabalho é algo que soa estranho, principalmente quando sabemos que somos pagos para trabalhar, não para nos divertirmos. Porém existe muita gente por aí que é paga para se divertir e trabalhar. Eu, por exemplo, sou uma dessas pessoas. Gosto tanto do que faço, que é ministrar palestras, escrever e ensinar as pessoas, que sou pago para me divertir. Não vejo a hora de começar a trabalhar e vou postergando a hora de parar o quanto posso. Esta é uma daquelas situações em que você nem pensa em se aposentar, porque isso seria o mesmo que dizer que vai parar de se divertir.

Mas infelizmente nem todo mundo gosta do que faz, daí a dificuldade que muitos têm em achar qualquer tipo de graça em seu trabalho. O problema pode nem estar na atividade em si, mas na dificuldade que o profissional tem de encontrar, dentro de sua atividade, aspectos positivos e gratificantes. Quando nossa visão é míope, deixamos de ver o quanto de pontos positivos existem numa atividade aparentemente desagradável.

Eu acredito muito no conceito de ócio criativo quando isso significa encarar o que faz como tempo ocioso gasto para exercitar os neurônios. Muitos empregos que tive no passado e que na época eu odiava, vejo hoje o quanto foram importantes em minha formação. E às vezes recebo emails de alunos que hoje estão no mercado de trabalho dizendo-se arrependidos por não terem aproveitado melhor as aulas que tiveram comigo.

Mas acredito que você esteja falando mais no sentido de atividades extra trabalho dentro do ambiente de trabalho, ou seja, o que é possível fazer quando estamos confinados durante a maior parte do dia cumprindo o contrato que temos com a empresa. Fica simples imaginar quando pensamos apenas naquelas pessoas que trabalham na área administrativa, mas a coisa é bem mais complicada para quem trabalha em alguma atividade operacional. Não dá para imaginar um operador de guindaste pensando em outra coisa enquanto movimenta toneladas de material e equipamento de um lado para outro sobre a cabeça dos operários lá embaixo.

P - Como dosar essa diversão?

Mario Persona -
 Quando é o caso de trabalhadores envolvidos em atividades administrativas, infelizmente nem todos estão preparados para a ideia de ter alguma diversão durante o trabalho. Quando o telefone era caro, e muitos funcionários sequer tinham uma linha em casa, muitas empresas eram obrigadas a colocar aqueles cadeadinhos para impedir que os colaboradores ficassem batendo papo. 

Então veio o celular e os cadeados sumiram, mas o problema ainda persiste em algumas empresas. Com a entrada do computador e da Internet no ambiente de trabalho muitas empresas são obrigadas a colocar bloqueios para seus funcionários não acessarem sites de vídeos, programas de bate-papo ou até mesmo blogs. É comum os casos de demissão pelo uso indevido desses recursos.

Antes de permitir a diversão no ambiente de trabalho é preciso fazer um trabalho educacional e dar aos colaboradores instalações e ferramentas adequadas para isso. Costumo atender grandes empresas e fico contente ao visitar algumas que têm bibliotecas bem instaladas, computadores para uso de seus funcionários, lanchonetes e até praças de esportes. Essas empresas criam uma infraestrutura de lazer tão boa que fica muito clara a linha divisória entre o que é ambiente de trabalho e ambiente de lazer. Em muitas delas os trabalhadores usam seu horário de almoço e até os finais de semana para a diversão, dentro dos limites colocados pela empresa. 

Quando a empresa não está equipada para isso ela corre o risco de seus funcionários procurarem formas alternativas de entretenimento, e acabam também não percebendo os limites de horários e utilização dos recursos da empresa. Já vi empresas cujos trabalhadores lotam os botequins das proximidades no intervalo para o almoço em busca de uma diversão nem sempre saudável. Geralmente isso acontece em indústrias que não fornecem uma infraestrutura de lazer para seus colaboradores.

P - Algumas empresas, como o Facebook e Google, disponibilizam maneiras dos funcionários se divertirem. Isso é comum entre empresas brasileiras? 

Mario Persona - 
Pessoas que trabalham nessas empresas precisam ter um acesso irrestrito aos recursos de Internet porque é aí que os colaboradores criam seus produtos. Algumas dessas empresas dão aos seus colaboradores a opção de usar uma porcentagem do tempo de trabalho para desenvolverem projetos próprios que possam ser de interesse da empresa. 

Sim, há empresas brasileiras que dão essa liberdade, mas trata-se de um ambiente e de uma cultura diferente da grande maioria dos negócios, pois o perfil de quem trabalha em empresas assim não é o mesmo dos operários de uma fábrica ou dos funcionários de um banco. Quase a totalidade deles ama tanto o que faz que continua fazendo as mesmas coisas até quando termina sua jornada de trabalho, o que os coloca naquela parcela de profissionais que encaram o próprio trabalho com diversão.

P - Estabelecer horários é bom para a empresa?

Mario Persona -
 Sim, porém isso vai depender muito do perfil da empresa e dos profissionais. Geralmente o horário de almoço é suficiente para o colaborador se alimentar e ainda ter alguns minutos para cuidar de assuntos pessoais, distrair-se com alguma atividade, conversar com os colegas ou simplesmente pensar. Já o tempo depois do expediente irá depender da política da empresa de permanência de pessoas em suas instalações. 

Algumas empresas têm áreas especialmente preparadas para isso e os funcionários podem permanecer nelas sem interferir no trabalho ou no turno dos outros colaboradores. Algumas empresas no Oriente possuem até mesmo uma política que permite que seus funcionários cochilem após o almoço. Afinal, ainda hoje em boa parte do Brasil e do mundo o comércio fecha após o almoço para a sesta. Em alguns países, como Japão, há lugares na cidade que você pode alugar um espaço para dormir por alguns minutos a fim de recarregar as baterias durante o dia de trabalho.

Eu acredito que o ganho de produtividade seja grande quando é permitido aos funcionários um breve intervalo para uma soneca durante o dia de trabalho. Isto evita que eles adotem medidas pouco saudáveis de espantar o sono, como o uso de café, estimulantes e bebidas energéticas.

P - Quais são os benefícios que as empresas adquirem ao entreter seus funcionários?

Mario Persona - 
Um momento de descontração e diversão causa uma ruptura na rotina do trabalhador e permite que ele recarregue suas baterias. Quando éramos crianças os dias pareciam muito mais longos e produtivos porque tudo era brincadeira. Nosso cérebro ainda estava em fase de programação, portanto qualquer coisa era novidade e chamava nossa atenção. 

À medida que fomos crescendo e envelhecendo o cérebro foi criando padrões para economizar energia. Por esta razão hoje chegamos ao final do dia com a sensação de que o dia passou correndo e não fizemos quase nada, o que nos deixa frustrados. O ponto é que fizemos muitas coisas, porém coisas que fazemos todos os dias, sem novidade, sem emoção, e foi como se trabalhássemos no piloto automático.

Para evitar o estresse que causa esse sentimento de frustração por um dia monocromático como é um dia de trabalho de rotina, o ideal é sempre introduzirmos algo de novo e inusitado. Pode ser mudar o caminho para o trabalho, ler um livro, ouvir uma música ou ver um filme de um estilo que jamais nos interessou, escovar os dentes ou usar o mouse com a outra mão... as possibilidades são muitas. O que importa é que seja uma atividade que pegue o cérebro de surpresa por não estar programado para isso. O momento de lazer, entretenimento ou até para uma soneca durante o horário de trabalho ajuda a criar esse ponto de "reset" do cérebro.

P - Quando as pessoas se divertem em seu trabalho, elas acabam produzindo mais?

Mario Persona - 
Não há dúvida de que se o trabalho for temperado com pitadas de diversão a produtividade irá melhorar. Uma pessoa com sua mente concentrada em excesso numa atividade pode começar a cometer erros por causa da sonolência causada pela rotina. Talvez muitos problemas de estresse poderiam ser resolvidos com uma boa política de tornar o tempo no trabalho mais interessante e diversificado. 

As estatísticas de ocorrências de suicídio no trabalho têm aumentado de forma assustadora. Embora muitos cometam suicídio por uma série de motivos, quando a tentativa de homicídio ocorre no ambiente de trabalho é possível que a razão seja exatamente o trabalho excessivo, opressivo e sem perspectivas de mudança.

P - Existe algum contra?

Mario Persona - 
Certamente, pois em todas as situações sempre ocorrerão abusos. É o caso das empresas que, por necessidade da própria atividade, dão livre acesso à Internet aos seus funcionários. Alguns não têm autocontrole suficiente para saberem usar com parcimônia o tempo de lazer e acabarão invadindo o tempo de trabalho imersos em bate-papos ou assistindo filmes inteiros pela Web. Se antigamente jamais pensaríamos na possibilidade de um trabalhador levar a TV para sua mesa de trabalho, hoje isso já é possível com a Internet e com o celular.

Quando alguma empresa me pergunta o que fazer com um funcionário que não respeita os horários de trabalho e usa a Internet em demasia, minha resposta é que deve ser dispensado. A empresa está pagando pelo tempo e capacidade do profissional e coloca em suas mãos recursos visando melhorar seu desempenho para uma maior produtividade. Até mesmo quando esses recursos são disponibilizados em horários adequados para a diversão do trabalhador, a meta final é tê-lo mais disposto e motivado a trabalhar. Quando esses instrumentos passam a ter um efeito contrário não existe outra solução senão a de substituir o funcionário. Ele passa a emperrar a produtividade por queda de desempenho, se não souber se policiar no uso de seu tempo.

Entrevista concedida ao site Vila Mulher em 04/02/2011.

Entrevistas como esta costumam ser feitas para a elaboração de matérias, portanto nem tudo acaba sendo publicado. Eventualmente são aproveitadas apenas algumas frases a título de declarações do entrevistado. Para não perder o que eu disse na hora da entrevista, costumo gravar ou dar entrevistas por escrito. A íntegra do que foi falado você encontra aqui. 

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Veja emwww.mariopersona.com.br

UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

Com seu estilo inconfundível, o palestrante Mario Persona transforma grandes questões em conceitos simples e de fácil compreensão para qualquer audiência.

Um fino senso de humor e talento de cronista, aliados à experiência empresarial, lhe permitem extrair do banal o extraordinário e transformar "causos" corriqueiros em analogias perfeitas para a vida, carreira e negócios.

Para saber mais sobre o palestrante
clique aqui ou entre em contato para
receber uma proposta. Ou ligue para
(19) 99870-7899 / 99789-7939
contato@mariopersona.com.br

Laura Loft - Diário de uma recepcionista
Laura Loft
Diário de uma recepcionista
Marketing de Gente
Marketing
de Gente
Receitas de Grandes Negócios
Receitas de
Grandes Negócios
Gestão de Mudanças
Gestão de
Mudanças
Crônicas de uma Internet de verão
Crônicas de uma
Internet de verão
Marketing Tutti-Frutti
Marketing
Tutti-Frutti
Dia de Mudança
Dia de
Mudança
Crônicas para ler depois do fim do mundo
Crônicas para ler
depois do fim do mundo
Eu quero um refil!
Eu quero
um refil!
Meu carro sumiu!
Meu carro
Sumiu!
Moving ON
Moving
ON
Uma luta pela vida
Uma luta pela vida
Lia Persona Hadley
O Evangelho em 3 minutos - Mateus
O Evangelho em 3 minutos
Mateus
O Evangelho em 3 minutos - João
O Evangelho em 3 minutos
João
O que respondi - Vol. 1
O que respondi
Vol. 1
O que respondi - Vol. 2
O que respondi
Vol. 2
O que respondi - Vol. 3
O que respondi
Vol. 3
O que respondi - Vol. 4
O que respondi
Vol. 4
O que respondi - Vol. 5
O que respondi
Vol. 5
O que respondi - Vol. 6
O que respondi
Vol. 6
O que respondi - Vol. 7
O que respondi
Vol. 7
O que respondi - Vol. 8
O que respondi
Vol. 8
O que respondi - Vol. 9
O que respondi
Vol. 9
Você encontra os livros de Mario Persona também nestes endereços: