Mario Persona CAFE - Crônicas de vida, carreira e negócios.

"É prova de alta cultura dizer as coisas mais profundas
do modo mais simples" -
Ralph Waldo Emerson 

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona CAFE

Últimas - Mario Persona CAFE Arquivos - Mario Persona CAFE Receba - Mario Persona CAFE Envie - Mario Persona CAFE Contato - Mario Persona CAFE

Quer publicar estas crônicas em seu site?

[Anterior: "Já ouviu falar em Empatia?"] [Página Inicial] [Próximo: "Meu pai não era o McGuyver"]

09/01/2007 Oh, não! Outra vez?
por Mario Persona

Esse japonês tem dado trabalho! O bom é que dá trabalho dos dois jeitos: trabalho bom e trabalho ruim. Trabalho bom são os contratos que já fechei só de alguém ter visto o Toshiro e entrado em contato comigo aqui. Mês passado foram dois. Trabalho ruim porque nunca vi alguém tão seqüestrado quanto esse japonês. Este mês foi mais um.

Em julho de 2000 publiquei a crônica "CRM de Mercearia", falando do atendimento na fictícia mercearia do Toshiro. Ela só não foi transformada em filme porque Hollywood nunca me encontrou. Ou por ter encontrado uma versão assinada por terceiros.

Dou permissão para publicarem meus textos, devidamente identificados como colaboração minha, para divulgar meu trabalho e se alguém se der ao trabalho de digitar o título no Google vai encontrar o autor no ato. Sim, pode acontecer de alguém receber por e-mail um texto meu sem identificação e publicar como "autor desconhecido" ou "autor não sabido", o que não significa que eu seja idiota.

Foi como me senti após escrever para alguém que publicou meu texto como sendo de sua autoria. No site de sua empresa especializada em CRM, meu texto aparecia assinado "por Fulano de Tal" ao lado de sua própria foto, todo sorridente. Enviei um e-mail educado para falar do texto indevidamente assinado:

"Ô, José, que coisa feia, hein? Publicou minha crônica com seu nome?!"

"Finalmente encontrei o autor do texto que tanto admiro!", retornou o pseudo-autor, no mais profundo êxtase. Imediatamente imaginei que estaria há noites sem dormir tentando me encontrar.

"Você conseguiu demonstrar, de forma simples e divertida, os objetivos do CRM", continuou, lisonjeiro. Essa é a técnica: toque a flauta para tentar encantar a serpente e não ser picado por ela. Afinal, o cara dá cursos de relacionamento com o cliente. Nada mal, se a Lei 9.610/98 dos Direitos Autorais e o Código Penal não classificassem o surrupio de obra alheia como crime.

Segundo o site da ABDR, em sua cartilha que explica a legislação, é "crime de violação de direito de autor... com intuito de lucro, ainda que indireto... sujeito a pena de reclusão, de dois a quatro anos, e multa". O pseudo-autor não pensou nessa possibilidade e nem ao menos em assinar "autor desconhecido". Continuou tentando explicar o inexplicável:

"Todos os artigos publicados no site da [nome de sua empresa] ou no nosso newsletter são associados a uma pessoa... para que possam ser discutidos posteriormente com nossos leitores. Esta é a razão pela qual você vê meu nome junto de seu trabalho".

Ah, então tá explicado. Ele estava ali só guardando meu lugar de autor enquanto eu ia ao banheiro vomitar.

Mas, ô Zé, para quantas pessoas mesmo você divulgou que era autor de meu texto em seu site e newsletter que têm por objetivo vender seus serviços?

"... 23.000 leitores", ele próprio revela em seu e-mail. Tentei imaginar quantas oportunidades de trabalho eu poderia ter perdido para o cálculo das perdas e danos...

"Feitas as explicações, cabe um convite. Me envie uma foto sua para nossa equipe preparar e publicar junto com seus artigos".

Essa parte me comoveu. Ele quer uma foto minha para colocar no lugar da sua! Só não gostei de ter falado que sua equipe irá preparar minha foto. Como assim?! Não saio bem na foto?!

No mesmo dia em que meu dentista marcou um tratamento de canal e, junto com mais de 5 milhões de brasileiros, fiquei privado de acessar meus vídeos no YouTube, senti-me vítima inocente mais de uma vez. O e-mail do pseudo-autor me fez sentir culpado por deixar Toshiro andar por aí desacompanhado. Serei penalizado por isso? Tudo é possível... Já vi acontecer no cinema.

Atrás de uma garota que estava na primeira fila do cinema cheio, vi o cara ao lado dela tentar molestá-la. Ofendida, a menina mandou cinco dedos na cara do indivíduo. "PLÁ! aaaaaa..." ecoou pela sala, justo na hora do maior silêncio da tela.

Com a maior cara-de-pau, o rapaz foi rápido em transformar-se de contraventor em vítima. Ficou em pé para ser visto por todo o cinema e, apontando o dedo em riste para a garota, sentenciou:

-- E se você não andar direito vai levar outro tapa igual a esse!

E saiu do cinema. No final do filme ninguém se mexeu. Todos queriam conhecer a garota que não andava direito.

resenha resenhas resumo resumos livro livros crítica críticas opinião opiniões literatura literaturas comentário comentários

De Gutenberg a Internet: Direitos Autorais na Era Digital
HENRIQUE GANDELMAN
ARTHUR P. CIARAMICOLI e KATHERINE KETCHAM

No Brasil, mais do que em muitos outros países, os direitos autorais sempre foram uma grande dor de cabeça, principalmente para os artistas, que nunca souberam bem o que e como poderiam reivindicar. Com a proliferação de novos veículos, meios e canais de comunicação, a situação ficou ainda mais confusa. Como um músico pode cobrar seus direitos se sua obra for utilizada em um CD-ROM? E se for veiculada pela Internet? Estas e outras dúvidas são respondidas no livro DE GUTENBERG À INTERNET: DIREITOS AUTORAIS NA ERA DIGITAL, escrito pelo maior especialista brasileiro no assunto, o advogado Henrique Gandelman. O livro, já uma obra de referência no Brasil, ganha, em 2001, uma nova edição, revista, ampliada e atualizada de acordo com a nova legislação datada de 1998.

E a gorjeta, doutor?


Respostas: 6 Pessoas comentaram. E você, qual é sua opinião?

Mário,

O tal do Zé que pegou o seu texto realmente deu uma de "tongo em favor próprio".

Antes tarde, do que mais tarde, você conseguiu assumir o seu lugar de verdadeiro autor.

Ah, e parabéns pelo texto, muito bacana mesmo!

Enviado por Daniel W em 20/01/2007


Caro Mário,
Também já fui vítima desse tipo armação algumas vezes. Quis processar alguns mais renitentes, mas terminei deixando pra lá. O problema é que, embora a lei nos proteja, nosso Judiciário é desestimulante.
Aproveito para lhe desejar um 2007 cheio de saúde e bom humor.

Enviado por José Alberto Farias em 12/01/2007


oi Mario,

conheci o Toshiro em seu livro "Receitas de Grandes Negócios" - excelentes receitas, por sinal. Imediatamente, virei fã. E, como vc bem sabe, ele consta de um treinamento que escrevi sobre Trade Marketing.

Fazer referência à sua obra em meus treinamentos indica, no mínimo, bom gosto literário.

E esta crônica, em especial, está merecendo um "Toshiro II: O Retorno". O que me diz? Vou ficar aguardando...

Abraço,
liz

Enviado por liz bittar em 10/01/2007


quando estava na escola e estudava de manhã eu ia a tarde na biblioteca fazer os trabalhos. Hoje, os meus irmaos e vizinhos fazem os trabalhos na Internet digitando pouco (Ctrl-C Ctrl-V). Acho que terão menos vergonha de plagiar do que os plagiadores de hoje. Conviver com o plágio é o que resta. Ou entao ficar postando coisas em PDF encriptado que não dá pra copiar e colar, mas é burocrático pra ler (esperar baixar/abrir outro programa/ler).

o Google retorna boa informacao nos primeiros resultados da busca por "plagiadores"

Abraço Mário!

Enviado por vinicius em 09/01/2007


Oi pessoal,
Eu mandei um email pro Zé. simples e direto. Apenas para ele notar q tem gente q sabe q ele anda roubando obra alheia
abs

Enviado por Daniel em 09/01/2007


Muito bom Dr. Mário. Muito bom mesmo. Pensei até em mandar um email para o seu Zé, mas... deixei para lá. Acho que ele já aprendeu a lição. Se bem que, hummm... "tem gente que não aprende lições"... Mas as vezes não é por mal. Coisas que a razão desconhece por completo... Sucesso, sempre !

Enviado por Sra. Nicolai em 09/01/2007


Publique aqui seu Comentário. Ele ficará visível nesta página. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do autor deste blog.

Quer falar em particular? Envie um e-mail para
contato@mariopersona.com.br

*Nome (obrigatório):

E-Mail (opcional):

Site (opcional):

Comentário

Código de segurança anti-spam:
Digite aqui em letras maiúsculas)


Leia outros textos nos
arquivos.

Gostou do CAFÉ?
Anote no guardanapo e convide alguém!

De: ....
Para:
Comentário:


*Preencha todos os campos.

Mario Persona CAFE


Subscribe Free
Add to my Page

Cardápio Profissional:

Palestra Palestra com Manteiga
Planejamento Planejamento Light
Comunicação Comunicação Quente
Redação Redação com Ovomaltine
Tradução Tradução Inglesa
Experiência Experiência ao Ponto
Imprensa Imprensa na Chapa
Contato Fale com o Garçom

After Hours: Quero Contar, True Stories, Chapter-A-Day, O Pintor em Minha Janela

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

Livros de Mario Persona

"Ser alguém é ter uma história para contar."
Isak Dinesen

Curioso para saber quem sou? Ok, você pediu. Para poupá-lo, vou começar nos anos 70. Após a fase mauricinho, virei hippie. Isso mesmo. Compus, cantei e toquei em festivais, vivi 3 anos só de macrobiótica e vesti bata de algodão de saco de farinha. Despojamento exterior de um Gandhi, mas vivendo como a rainha da Inglaterra, PAItrocinado no conforto de um apê só meu no Guarujá e faculdade particular em Santos.

Fim dos anos 70, desenhista, designer de ambientes e cartunista, recém formado arquiteto, metido em movimentos de contracultura e volta à natureza, fui morar no mato. Comprei um sítio após uma tentativa frustrada de morar numa comunidade. Onde? Alto Paraiso, GO. Foram 3 anos cantando "Refazenda", criando carrapatos, plantando mato e comendo arroz integral com gersal.

Foi também no fim dos 70 que nasci de novo, após três anos errando à procura de um sentido para a vida em filosofias do extremo oriente. Minha procura terminou no oriente médio
e os anjos ficaram alegres.

Voltei à civilização para continuar a carreira de arquiteto. Tive escritório de arquitetura, fui vendedor de materiais de acabamento, negociador no Banco Itaú e Cia do Metrô, editor de publicações cristãs da Verdades Vivas, tradutor técnico e diretor de comunicação e marketing da Widesoft.

Dinossauro da Internet no Brasil, em 1996 criei meu primeiro site, o bilíngüe
True Stories, seguido do trilíngüe Chapter-A-Day. Trabalhando na Widesoft, criei a comunidade Widebiz e ultimamente mantenho alguns blogs, como este CAFE, o biográfico Quero Contar e o devocional O Pintor em Minha Janela.

Hoje sou
palestrante, escritor, professor e estrategista de comunicação e marketing, além de garçom aqui no Mario Persona CAFE. Para saber mais é só clicar nos docinhos do cardápio profissional lá no alto.

Descobri o ócio criativo e faço que gosto trabalhando em casa. Meus clientes nunca iam ao meu escritório — nem eu — por isso decidi assumir o modelo home-office, conectado a um atendimento profissional, empresas parceiras, ao meu filho
Lucas Persona e aos meus clientes. Adotei o modelo futuro no presente.

Ao lado de minha mesa fica a poltrona de meu filho Pedro, que passa o dia escutando música. Quem é Pedro? Esta é uma outra história que você encontra no livro
"Uma Luta pela Vida", de minha filha Lia Persona, ou acompanhando o blog Quero Contar .

Com tanta
gente lendo meus textos, visitando meu site, assistindo minhas palestras, costumo receber um bom número de e-mails de leitores. Mas nenhum foi tão enigmático quanto aquele que trazia apenas uma pergunta: "Por que você se chama Mario Persona?".

"Você é o contador de histórias de sua própria vida, e poderá ou não criar sua própria lenda."
Isabel Allende



Vida, Carreira & Negócios - PodcastOneVida, Carreira & Negócios - PodcastOne


Powered By Greymatter

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

 

 

Home | Planejamento | Comunicação | Redação | Tradução | Palestras | Coaching | Crônicas | Experiência | Imprensa | Contato

© Mario Persona Consultoria Ltda. contato@mariopersona.com.br Tel (19) 3038-4283 / Cel (19) 9789-7939 - Limeira - SP - Brasil

moving on, marketing de gente, gestão de mudanças em tempos de oportunidades, receitas de grandes negócios, crônicas de uma internet de verão


© Mario Persona

BlogBlogs.Com.Br Who links to my website?