Mario Persona CAFE - Crônicas de vida, carreira e negócios.

"É prova de alta cultura dizer as coisas mais profundas
do modo mais simples" -
Ralph Waldo Emerson 

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona CAFE

Últimas - Mario Persona CAFE Arquivos - Mario Persona CAFE Receba - Mario Persona CAFE Envie - Mario Persona CAFE Contato - Mario Persona CAFE

Quer publicar estas crônicas em seu site?

[Anterior: "Inovação do outro mundo"] [Página Inicial] [Próximo: "Schwarzenegger in a skirt?"]

30/08/2006 Schwarzenegger de saia?
por Mario Persona

Superpetroleiros são os maiores objetos móveis construídos pelo homem. Enormes, brutos, pesados, fazem qualquer um sentir-se um liliputiano ao seu lado. Impressionam por seu peso, vertiginam por sua altura, embasbacam por sua potência. E estão sempre prestes a explodir e causar um desastre ecológico. Eles são os Rambos e Schwarzeneggers dos mares. (Aqui em Inglês)

Enquanto isso, o que nos seduz são os veleiros. Frágeis, simples, elegantes, parceiros do vento. Pedem licença às ondas do mar e inebriam o olhar com a voluptuosidade efêmera de suas velas.

Ficamos tão impressionados com grandeza, poder e majestade, que estamos deixando passar ao largo tudo o que é pequeno, frágil e singelo. Queremos ter o controle de tudo, do alicerce ao telhado. O poder nos embriaga, na academia queremos ser Rambo, no trabalho um Donald Trump. Sonhamos construir arranha-céus, cassinos e mausoléus faraônicos, ainda que sirvam apenas para nosso enterro. Admirados com o aquilo que é exterior, nos esquecemos de que a sedução vai ficar mesmo por conta da decoração interior.

Em meio à febre dos videologs e dos sistemas que fornecem infra-estrutura de hospedagem e transmissão -- Youtube, BlipTV, Videolog, Putfile, Google Video, Mobuzz... -- surge um jovem australiano com nome de petroleiro, porém sutil como um veleiro. Ben Petro, de 27 anos, criou o Gidol!, apelido de Google Idol. Acompanhe comigo a grande sacada do rapaz que virou celebridade.

O nome é um casamento do superpetroleiro da informação -- Google -- com a grande sedução do entretenimento -- American Idol. Apela para a prática mais acessível aos jovens na busca da fama, a música, tanto para os que têm voz de gralha como para as cotovias que voam anônimas por aí.

Para os primeiros, o Gidol! acena com a possibilidade de se tornarem uma nova "Brookers", a garota de vinte anos que já foi vista por dezenas de milhões de pessoas e virou estrela fazendo caras e bocas com suas dublagens no Youtube. Num piscar de olhos passou de recepcionista a artista, foi contratada por uma produtora de TV e comprou seu primeiro carro ajudada pelos fãs.

Mas isto é para quem dubla. E para quem canta? O Gidol! oferece a possibilidade de ver sua carreira decolar na garupa de... quem dubla! Isso mesmo, pelo clipe do cover.

E foi aí que Ben Petro enxergou a oportunidade de juntar a fome com a vontade de comer. Em seu Gidol! ele promove concursos. Há categorias livres, mas há aquelas em que os candidatos recebem a incumbência de dublar algum embrião de cantor, como é o caso da jovem cantora indiana Aneela que canta em híndi. Enquanto o público vota, dubladores e dublados seguem na base do uma-mão-lava-a-outra. E quem molha a mão do Ben Petro, o criador do Gidol!?

Aparentemente ele ainda não está muito preocupado com isso. É seu hobby. Ok, você deve estar preocupado com o custo, infraestrutura etc. Bem, hobby não tem custo, não é mesmo? Qualquer investimento de tempo e dinheiro é sempre acompanhado de desculpas do tipo... eu não bebo, não fumo, não saio com os amigos... Você já deve ter escutado alguém falando assim.

Além do mais, tudo acontece no laptop do rapaz, porque os vídeos são hospedados pelos próprios autores no Google Video. Sacou a lição? O cara pegou carona nas marcas e na sensação do momento e botou todo mundo para trabalhar: O Google Video hospeda os vídeos, os jovens dublam, dançam e fazem caretas, e os aspirantes a cantores fornecem sua produção.

Esse rapaz vai longe com seu veleiro porque sabe otimizar recursos e navegar na simplicidade. A mesma simplicidade que Bree, ou LonelyGirl15, revela em seus vídeos vistos por milhões de espectadores do YouTube.

Em uma novelinha ingênua, que pode ser genuína ou armada por atores profissionais como supõem alguns, ela se vê às voltas com os altos e baixos de um relacionamento idílico com seu amigo Daniel, atraindo milhões de espectadores. A menina faz um papel exatamente oposto ao da mulher moderna, forte e independente.

Ela é simples, frágil e vulnerável. Não tem nada de "guerreira" ou "poderosa", adjetivos que viraram lugar-comum entre mulheres bem-sucedidas. Tem a fragilidade de uma "menina dos olhos", apelido da pupila por ser a parte do corpo que corremos proteger literalmente num piscar de olhos. E está longe do estereótipo de sensualidade imposto pela mídia: em um vídeo no qual aparece nadando, a menina veste um maiô inteiro modelo "vovó-recatada".

Será que tamanha audiência é um sinal de que feminilidade, graça e decência são produtos escassos no mercado atual? Você decide.

Enquanto isso, vá pensando na lição de casa, seja ela para seus negócios, comportamento ou vida: simplicidade é tudo, singeleza impera e Schwarzenegger nunca ficaria bem de saia.






Mais sobre este tema? Além do livro abaixo, sugiro o vídeo "American Pop Culture - It's Crumbelievable!" do programa "The Colbert Report". Leia também um artigo sobre LonelyGirl15 na Businessweek

resenha resenhas resumo resumos livro livros crítica críticas opinião opiniões literatura literaturas comentário comentários

A Cauda Longa: do Mercado de Massa para o Mercado de Nicho
CHRIS ANDERSON


O que acontecerá quando tudo no mundo se tornar disponível para todos?
Quando o valor conjunto de todos os milhões de itens que talvez vendam apenas uns poucos exemplares for igual ou maior do que o dos poucos itens que vendem milhões cada um?

Quando um grupo de crianças sem intenção de lucro for capaz de gravar uma canção ou produzir um vídeo, distribuindo-os pelos mesmos meios eletrônicos explorados pelas mais poderosas empresas de grande porte?
Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired, explorou pela primeira vez o fenômeno da Cauda Longa em um artigo que se tornou um dos mais influentes ensaios sobre negócios de nosso tempo. Usando o mundo dos filmes, dos livros e das músicas, mostrou que a Internet deu origem a um novo universo, em que a receita total de uma multidão de produtos de nicho, com baixos volumes de vendas, é igual à receita total dos poucos grandes sucessos.

Então, cunhou o termo "Cauda Longa" para descrever essa situação, o qual, desde então, tem sido citado com destaque pela alta gerência das empresas e pelos meios de comunicação em todo o mundo.

"Embora ainda estejamos obcecados pelos sucessos do momento", escreve Anderson, "esses hits já não são mais a força econômica de outrora. Mas, para onde estão debandando aqueles consumidores volúveis, que corriam atrás do efêmero? Em vez de avançarem como manada numa única direção, eles agora se dispersam ao sabor dos ventos, à medida que o mercado se fragmenta em inúmeros nichos".

Agora, neste livro tão esperado, Anderson mostra como chegamos a esse ponto e revela as enormes oportunidades daí decorrentes: para novos produtores, para novos agregadores e para novos formadores de preferências. Ele também analisa a economia da reputação; o fim dos estoques; o efeito Wal-Mart; o poder da produção colaborativa e a ascensão de uma grande cultura paralela.



E a gorjeta, doutor?


Respostas: 1 Pessoa comentou. E você, qual é sua opinião?

muito bom! recomendado no meu blog!

Enviado por Wilson Doll em 02/09/2006


Publique aqui seu Comentário. Ele ficará visível nesta página. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do autor deste blog.

Quer falar em particular? Envie um e-mail para
contato@mariopersona.com.br

*Nome (obrigatório):

E-Mail (opcional):

Site (opcional):

Comentário

Código de segurança anti-spam:
Digite aqui em letras maiúsculas)


Leia outros textos nos
arquivos.

Gostou do CAFÉ?
Anote no guardanapo e convide alguém!

De: ....
Para:
Comentário:


*Preencha todos os campos.

Mario Persona CAFE


Subscribe Free
Add to my Page

Cardápio Profissional:

Palestra Palestra com Manteiga
Planejamento Planejamento Light
Comunicação Comunicação Quente
Redação Redação com Ovomaltine
Tradução Tradução Inglesa
Experiência Experiência ao Ponto
Imprensa Imprensa na Chapa
Contato Fale com o Garçom

After Hours: Quero Contar, True Stories, Chapter-A-Day, O Pintor em Minha Janela

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

Livros de Mario Persona

"Ser alguém é ter uma história para contar."
Isak Dinesen

Curioso para saber quem sou? Ok, você pediu. Para poupá-lo, vou começar nos anos 70. Após a fase mauricinho, virei hippie. Isso mesmo. Compus, cantei e toquei em festivais, vivi 3 anos só de macrobiótica e vesti bata de algodão de saco de farinha. Despojamento exterior de um Gandhi, mas vivendo como a rainha da Inglaterra, PAItrocinado no conforto de um apê só meu no Guarujá e faculdade particular em Santos.

Fim dos anos 70, desenhista, designer de ambientes e cartunista, recém formado arquiteto, metido em movimentos de contracultura e volta à natureza, fui morar no mato. Comprei um sítio após uma tentativa frustrada de morar numa comunidade. Onde? Alto Paraiso, GO. Foram 3 anos cantando "Refazenda", criando carrapatos, plantando mato e comendo arroz integral com gersal.

Foi também no fim dos 70 que nasci de novo, após três anos errando à procura de um sentido para a vida em filosofias do extremo oriente. Minha procura terminou no oriente médio
e os anjos ficaram alegres.

Voltei à civilização para continuar a carreira de arquiteto. Tive escritório de arquitetura, fui vendedor de materiais de acabamento, negociador no Banco Itaú e Cia do Metrô, editor de publicações cristãs da Verdades Vivas, tradutor técnico e diretor de comunicação e marketing da Widesoft.

Dinossauro da Internet no Brasil, em 1996 criei meu primeiro site, o bilíngüe
True Stories, seguido do trilíngüe Chapter-A-Day. Trabalhando na Widesoft, criei a comunidade Widebiz e ultimamente mantenho alguns blogs, como este CAFE, o biográfico Quero Contar e o devocional O Pintor em Minha Janela.

Hoje sou
palestrante, escritor, professor e estrategista de comunicação e marketing, além de garçom aqui no Mario Persona CAFE. Para saber mais é só clicar nos docinhos do cardápio profissional lá no alto.

Descobri o ócio criativo e faço que gosto trabalhando em casa. Meus clientes nunca iam ao meu escritório — nem eu — por isso decidi assumir o modelo home-office, conectado a um atendimento profissional, empresas parceiras, ao meu filho
Lucas Persona e aos meus clientes. Adotei o modelo futuro no presente.

Ao lado de minha mesa fica a poltrona de meu filho Pedro, que passa o dia escutando música. Quem é Pedro? Esta é uma outra história que você encontra no livro
"Uma Luta pela Vida", de minha filha Lia Persona, ou acompanhando o blog Quero Contar .

Com tanta
gente lendo meus textos, visitando meu site, assistindo minhas palestras, costumo receber um bom número de e-mails de leitores. Mas nenhum foi tão enigmático quanto aquele que trazia apenas uma pergunta: "Por que você se chama Mario Persona?".

"Você é o contador de histórias de sua própria vida, e poderá ou não criar sua própria lenda."
Isabel Allende



Vida, Carreira & Negócios - PodcastOneVida, Carreira & Negócios - PodcastOne


Powered By Greymatter

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

 

 

Home | Planejamento | Comunicação | Redação | Tradução | Palestras | Coaching | Crônicas | Experiência | Imprensa | Contato

© Mario Persona Consultoria Ltda. contato@mariopersona.com.br Tel (19) 3038-4283 / Cel (19) 9789-7939 - Limeira - SP - Brasil

moving on, marketing de gente, gestão de mudanças em tempos de oportunidades, receitas de grandes negócios, crônicas de uma internet de verão


© Mario Persona

BlogBlogs.Com.Br Who links to my website?