Mario Persona CAFE - Crônicas de vida, carreira e negócios.

"É prova de alta cultura dizer as coisas mais profundas
do modo mais simples" -
Ralph Waldo Emerson 

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona CAFE

Últimas - Mario Persona CAFE Arquivos - Mario Persona CAFE Receba - Mario Persona CAFE Envie - Mario Persona CAFE Contato - Mario Persona CAFE

Quer publicar estas crônicas em seu site?

[Anterior: "Percalços viandantes"] [Página Inicial] [Próximo: "Inovação do outro mundo"]

16/08/2006 A última palavra em segurança
por Mario Persona

(español)
Você já deve conhecer as famosas últimas palavras de anônimos, como as do policial da brigada antibombas ("Vai por mim, pode cortar o fio vermelho..."), do pedreiro ("Pode subir que o andaime agüenta..."), ou do eletricista ("Pode ligar a chave geral que já consertei..."). Pois é, todos afirmaram de pés juntos que não havia perigo. E terminaram de pés juntos.

Sou obcecado por segurança. Uma obsessão conhecida de amigos e parentes que já ouviram todas as histórias horríveis que trago no bolso do colete para qualquer ocasião de risco. Às vezes sou até chato, mas que culpa tenho de ser um contador de histórias? E de conhecer casos como o do rapaz que acendeu um fósforo para ver se havia combustível no tanque, ou do casal de namorados que foi beijando do cinema ao pronto-socorro para desengatar seus aparelhos ortodônticos? Até beijar é risco!

Já ouviu falar nos "Caçadores de Mitos"? Pois é, eu sou um "Caçador de Perigos". Vivo de olho. Li de dois passageiros que teriam visto a porta mal fechada de um avião e nada fizeram. Não acredito. Será verdade?! A porta se abriu durante o vôo e quase matou gente no ar e na terra. Se eu estivesse no vôo, teria corrido lá fechar a porta. Provavelmente seria o primeiro a ser sugado, mas pelo menos teria tentado. Por isso aprendi que ficar de olho no risco também é um risco. Uma vez gritei para a mulher do carro ao lado fechar a porta, mas ela não entendeu e ainda xingou! Não fez o que sugeri que fizesse. Nem eu fiz o que ela me mandou fazer.

Pouca gente sabe, mas segurança dá dinheiro. Tenho feito palestras sobre segurança e qualidade de vida, mas não é de normas, procedimentos ou equipamentos que costumo falar. Disso o pessoal já está careca e de capacete de saber. Há os técnicos de segurança, os engenheiros, os médicos, os treinamentos, as SIPATs, as CIPAs e dúzias de outras siglas cuidando do assunto. Para variar, costumo falar de dinheiro. Dinheiro? Sim, mas não o do cachê da palestra. Falo do quanto uma empresa e seus colaboradores ganham com segurança. Ou perdem com a falta dela.

Além dos danos à vida, à saúde e ao meio-ambiente, acidentes machucam o bolso do patrão e do trabalhador. É fácil entender: qualquer acidente pode parar uma linha de produção, detonar a qualidade e aumentar os custos. Sem falar da unha preta. Moral da história? Produto mais caro, menor qualidade, empresa menos competitiva. Sem falar da unha feia. Empresas menos competitivas não podem investir em promoção e qualificação pessoal, equipamentos modernos e num melhor ambiente de trabalho. Sabe quem vai morrer com o mico? O trabalhador.

Não fui sempre assim preocupado com segurança. Gostava de correr riscos, de viver perigosamente. Mas a vida foi ensinando e as histórias tristes se acumulando. Como a do amigo que perdi depois de seu ultraleve bater asas em pleno vôo. A ironia é que o pára-quedas especial para ultraleves, que ele acabara de trazer dos EUA, estava no porta-malas do carro para ser instalado depois daquele vôo.

Com a chegada dos filhos a gente começa a pensar mais em segurança. Começa a perceber que a segurança pessoal -- ou a falta dela -- tem desdobramentos que podem atingir também outras pessoas. Quando ganhei um terceiro filho, portador de deficiências, passei a levar a coisa ainda mais a sério. Quando você tem nas mãos alguém totalmente dependente e incapaz de se defender de qualquer dano ou perigo a responsabilidade fica ainda maior.

Pilotar uma cadeira de rodas também aguçou meus sentidos de perigo para coisas que antes considerava insignificantes, como degraus, buracos ou até atravessar a rua correndo. As decisões precisam ser planejadas porque tenho outra vida literalmente em minhas mãos. Mas também há vantagens. De tanto ficar de olho no chão, achei uma nota de 50 reais durante um passeio.

Mas nem sempre sou capaz de intervir nas situações de risco, e sofro com isso. Outro dia fui obrigado a assistir a um show de imprudência, enquanto aguardava na sala de espera de uma empresa. Do outro lado do vidro um rapaz fazia malabarismo para esticar uma faixa entre a fachada e um poste de luz.

Com a ponta de um pé no muro, a sola do outro entre duas pontas de lança de uma grade de ferro e os dentes segurando a cordinha, estava quase achando que era uma vantagem ele ter tantos fios elétricos ao alcance da mão, caso perdesse o equilíbrio. Terminou sua performance com um salto e saiu de cena. Foi quando consegui ler os dizeres da faixa:

"BEM-VINDOS À SIPAT - SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO".




resenha resenhas resumo resumos livro livros crítica críticas opinião opiniões literatura literaturas comentário comentários

Manual de Saúde e Segurança do Trabalho: Vols. I, II e III
SEBASTIAO IVONE VIEIRA

A Saúde e Segurança do Trabalho não apenas tem impacto direto sobre a vida dos trabalhadores e suas famílias no Brasil e no mundo, como também é elemento central no processo de desenvolvimento econômico e social, com conseqüências que vão além daquelas resultantes das doenças e acidentes do trabalho gerados no ambiente laborativo e que se refletem direta ou indiretamente sobre o mercado de trabalho, a produtividade dos trabalhadores, o rendimento familiar e sobre a pobreza, os sistemas de previdência social, o comércio internacional e, até mesmo, sobre o meio ambiente.
O trabalhador com qualidade de vida no trabalho tem boas condições de saúde, aumenta a produtividade, exige menos gastos em programas de saúde e assistência médica, trabalha satisfeito, apresenta menos ausência ao trabalho e sofre menos acidentes do trabalho. Estas premissas fazem com que sua saúde biopsicossocial esteja em equilíbrio, existindo uma grande harmonia entre trabalhador e empregador.

E a gorjeta, doutor?


Respostas: 5 Pessoas comentaram. E você, qual é sua opinião?

presiso fazer um cartasz muito bem elaborado sob seguranca do trabaho.

Enviado por marlei adler em 19/09/2009


Essa Crônica, é muito boa, não só para quem é Tecnico em Segurança, como para colaboradores de uma empresa, para conscientização e conhecimentos.
Muito obrigada Mário Persona, por nos beneficiar com sua Sabedoria!!!

Enviado por Vanessa Nunes em 01/05/2007


por favor sou esatagiária de tecnico em segurança no trabalho,preciso de informações sobre montagem de andaime pois ,necessito falar sobre o mesmo no DDS.Obrigada.

Enviado por Uiara Teófilo em 21/08/2006


A crônica Última palavra em segurança de Mario Persona, nos alerta para situações que ocorrem no dia a dia.
Gosto muito de absolver suas orientações, elas chegam de maneira clara e num formato inteligente.
Mais uma vez, Parabéns.

Enviado por valter vieira em 20/08/2006


Señor Mario Persona
Egregio Señor :

hable con mi señora y está dispuesta a efectuarle traducciones de notas al español(sin costo) para que usted pruebe
y poder luego venderlas por usted en Argentina y Uruguay.
Espero que le guste la idea.
El mercosur todavía existe ??
Cordialmente
Carlos Casciotti

Enviado por CARLO CASCIOTTI em 17/08/2006


Publique aqui seu Comentário. Ele ficará visível nesta página. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do autor deste blog.

Quer falar em particular? Envie um e-mail para
contato@mariopersona.com.br

*Nome (obrigatório):

E-Mail (opcional):

Site (opcional):

Comentário

Código de segurança anti-spam:
Digite aqui em letras maiúsculas)


Leia outros textos nos
arquivos.

Gostou do CAFÉ?
Anote no guardanapo e convide alguém!

De: ....
Para:
Comentário:


*Preencha todos os campos.

Mario Persona CAFE


Subscribe Free
Add to my Page

Cardápio Profissional:

Palestra Palestra com Manteiga
Planejamento Planejamento Light
Comunicação Comunicação Quente
Redação Redação com Ovomaltine
Tradução Tradução Inglesa
Experiência Experiência ao Ponto
Imprensa Imprensa na Chapa
Contato Fale com o Garçom

After Hours: Quero Contar, True Stories, Chapter-A-Day, O Pintor em Minha Janela

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

Livros de Mario Persona

"Ser alguém é ter uma história para contar."
Isak Dinesen

Curioso para saber quem sou? Ok, você pediu. Para poupá-lo, vou começar nos anos 70. Após a fase mauricinho, virei hippie. Isso mesmo. Compus, cantei e toquei em festivais, vivi 3 anos só de macrobiótica e vesti bata de algodão de saco de farinha. Despojamento exterior de um Gandhi, mas vivendo como a rainha da Inglaterra, PAItrocinado no conforto de um apê só meu no Guarujá e faculdade particular em Santos.

Fim dos anos 70, desenhista, designer de ambientes e cartunista, recém formado arquiteto, metido em movimentos de contracultura e volta à natureza, fui morar no mato. Comprei um sítio após uma tentativa frustrada de morar numa comunidade. Onde? Alto Paraiso, GO. Foram 3 anos cantando "Refazenda", criando carrapatos, plantando mato e comendo arroz integral com gersal.

Foi também no fim dos 70 que nasci de novo, após três anos errando à procura de um sentido para a vida em filosofias do extremo oriente. Minha procura terminou no oriente médio
e os anjos ficaram alegres.

Voltei à civilização para continuar a carreira de arquiteto. Tive escritório de arquitetura, fui vendedor de materiais de acabamento, negociador no Banco Itaú e Cia do Metrô, editor de publicações cristãs da Verdades Vivas, tradutor técnico e diretor de comunicação e marketing da Widesoft.

Dinossauro da Internet no Brasil, em 1996 criei meu primeiro site, o bilíngüe
True Stories, seguido do trilíngüe Chapter-A-Day. Trabalhando na Widesoft, criei a comunidade Widebiz e ultimamente mantenho alguns blogs, como este CAFE, o biográfico Quero Contar e o devocional O Pintor em Minha Janela.

Hoje sou
palestrante, escritor, professor e estrategista de comunicação e marketing, além de garçom aqui no Mario Persona CAFE. Para saber mais é só clicar nos docinhos do cardápio profissional lá no alto.

Descobri o ócio criativo e faço que gosto trabalhando em casa. Meus clientes nunca iam ao meu escritório — nem eu — por isso decidi assumir o modelo home-office, conectado a um atendimento profissional, empresas parceiras, ao meu filho
Lucas Persona e aos meus clientes. Adotei o modelo futuro no presente.

Ao lado de minha mesa fica a poltrona de meu filho Pedro, que passa o dia escutando música. Quem é Pedro? Esta é uma outra história que você encontra no livro
"Uma Luta pela Vida", de minha filha Lia Persona, ou acompanhando o blog Quero Contar .

Com tanta
gente lendo meus textos, visitando meu site, assistindo minhas palestras, costumo receber um bom número de e-mails de leitores. Mas nenhum foi tão enigmático quanto aquele que trazia apenas uma pergunta: "Por que você se chama Mario Persona?".

"Você é o contador de histórias de sua própria vida, e poderá ou não criar sua própria lenda."
Isabel Allende



Vida, Carreira & Negócios - PodcastOneVida, Carreira & Negócios - PodcastOne


Powered By Greymatter

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

 

 

Home | Planejamento | Comunicação | Redação | Tradução | Palestras | Coaching | Crônicas | Experiência | Imprensa | Contato

© Mario Persona Consultoria Ltda. contato@mariopersona.com.br Tel (19) 3038-4283 / Cel (19) 9789-7939 - Limeira - SP - Brasil

moving on, marketing de gente, gestão de mudanças em tempos de oportunidades, receitas de grandes negócios, crônicas de uma internet de verão


© Mario Persona

BlogBlogs.Com.Br Who links to my website?