Mario Persona CAFE - Crônicas de vida, carreira e negócios.

"É prova de alta cultura dizer as coisas mais profundas
do modo mais simples" -
Ralph Waldo Emerson 

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona CAFE

Últimas - Mario Persona CAFE Arquivos - Mario Persona CAFE Receba - Mario Persona CAFE Envie - Mario Persona CAFE Contato - Mario Persona CAFE

Quer publicar estas crônicas em seu site?

[Anterior: "O case do blog corporativo"] [Página Inicial] [Próximo: "Só dói quando não rio"]

11/02/2006 Diversidade à flor da pele
por Mario Persona

Cresce a diversidade no trabalho. Faz duas ou três décadas que você vem aprendendo a conviver com a diversidade cultural e étnica gerada pela globalização. Agora a moda é diversidade de idade. Depois que o IBGE aumentou a expectativa de vida da população, velho passou a ser coisa do passado. Avise os amigos do boteco que você vai chegar mais tarde para o dominó.

É claro que a previdência vai fazer a gente trabalhar mais tempo, afastando cada vez mais a cenoura da aposentadoria e gerando uma enorme disparidade de idade no ambiente de trabalho. Uma menina nascida hoje na França ou no Japão tem 50% de chances de viver 100 anos. Portanto, se a sua chefe for francesa ou japonesa, pode esquecer a promoção. Elas são duras de morrer.

Isso está tirando o sono da previdência. Graças aos aditivos, os velhinhos estão conseguindo levantar as estatísticas dos matrimônios com amigas das netas. Como nada dura para sempre, vem aí uma legião de viúvas na faixa dos vinte que só se casaram para serem felizes pensionistas para sempre. Imagine o rombo na previdência! E se forem francesas ou japonesas? Ou reincidentes?

O abismo entre as gerações se intensifica até pela velocidade das mudanças culturais. Um jovem do século 19 não estava culturalmente muito longe do avô. As roupas eram as mesmas, as músicas eram iguais e o idioma também. Hoje, até a linguagem separa as gerações. Se o adolescente chamar o chefe sexagenário de "animal" corre o risco de ser demitido.

A aparência, então, é um capítulo à parte. Na minha adolescência ninguém usava piercing. Usávamos espinhas, mas elas dificilmente ficavam no mesmo lugar. Tatuagem, só se fosse aquela cicatriz na testa, da queda do abacateiro, ou do caco de vidro no pé. De resto era igual. Nós nos orgulhávamos e as exibíamos como os garotos de hoje exibem tatoos.

Você pergunta se eu contrataria alguém tatuado? Sim. Se gosto de tatuagem? Não. Acho a pele bela demais para ficar permanentemente oculta. Não pintaria uma pérola. Mas minha opinião não conta porque sou de outra geração e nem tenho físico para a coisa. A área preferida dos garotões para tatuar são os braços, devidamente inchados com baldes de proteína. Os meus são mais finos que as coxas, portanto estou fora do padrão.

Neles mal caberia uma prancha de surf de perfil, quanto mais a onda! Teria que tatuar na barriga. Ali sim, cabe um tsunami. Além disso, estou naquela idade em que hoje você tatua um ovo e amanhã ele parece omelete, tamanha a rapidez da flacidez. Porém, antes que os tatuados me odeiem e soltem os cachorros — e tem gente que tatuou até o cachorro — admito que a arte aplicada tem sua beleza. Às vezes vejo verdadeiras galerias desfilando por aí, mas nunca sei se posso ficar olhando ou corro o risco de acabar tatuado com um hematoma.

Mas, quer você goste ou não, é um mercado em crescimento que movimenta cada vez mais dinheiro em sua cadeia de produtos, equipamentos e serviços de furar, pintar e grampear. E remover tudo isso depois — devo chamar de pós-venda? — porque sempre tem quem se arrependa ou encontre dificuldade na hora de arranjar um namorado com o mesmo nome.

Para quem entra no mercado de trabalho a tatuagem pode ou não criar dificuldades. Depende da cultura da empresa, do perfil de seus clientes ou até da faixa etária de quem contrata. Embora diversidade seja hoje sinônimo de inovação em alguns segmentos, em outros ainda existe discriminação — implícita ou explícita — de sexo, idade ou aparência física. Por isso alguns cuidados devem ser tomados por aqueles que pretendem seguir uma carreira.

Sei de um jovem que foi precavido. Pensando no futuro, mas não querendo abrir mão do presente, só tatuou o couro cabeludo. Todo ele, a partir da linha do cabelo. Fez da cabeça uma obra de arte, expondo sua mente brilhante para pessoas e pássaros. Para aumentar a exposição, adotou até um jeito oriental de cumprimentar.

Sua estratégia para não ser discriminado profissionalmente? Deixar o cabelo crescer quando terminar a escola e for pleitear uma vaga no mercado de trabalho. Pensou em tudo, menos em três detalhes. Um pai e dois avôs carecas. >>> [>> Envie a um amigo >>]

Use o formulário abaixo para comentar.

resenha resenhas resumo resumos livro livros crítica críticas opinião opiniões literatura literaturas comentário comentários

Guia das Idades : Quem Fez o que, Quando, de 1 a 100 anos
ANDREW POSTMAN

Todos nos preocupamos em como nossa idade afetará nossa carreira - criativamente, profissionalmente, financeiramente ou socialmente. Nem todos podemos ser um Mozart, que já impressionava as audiências aos 6 anos de idade. Mas ninguém também precisa ser um Nostradamus, que só foi prever alguma coisa aos 43 anos, ou um Monet, que não começou a pintar antes dos 74. O livro traz curiosidades sobre pessoas famosas ou não, seus principais feitos - bons ou ruins - e a idade em que fizeram.

E a gorjeta, doutor?


Respostas: 5 Pessoas comentaram. E você, qual é sua opinião?

Você é realmente demais. Seus textos são leves, inteligentes. Sempre trazendo uma visão criativa e bem humorada das coisas! Amo ler suas crônicas...
Parabéns pelo seu trabalho.
Muita luz

Dora Guiseline
"Em busca de um mundo melhor!"

Enviado por Dora Guiseline em 09/03/2006


CONCORDO COM O FRANCISCO, ACHEI CÔMICO O JOVEM TER PAIS E AVÓS CARECAS, MAS , O TEXTO EM SI, MEIO SEM GRAÇA, CAFÉ COM LEITE!!!!!

Enviado por Yara Toyoshima em 15/02/2006


Leitura agradável e oportuna para o dia do meu sexagésimo oitavo aniversário.
Gostaria de ver o tema diversidade tratado sob o aspecto das mudanças que os jovens operam na língua portuguesa.

Enviado por Francisco Siqueira em 14/02/2006


Crônica muito oportuna e de humor inteligente.

Enviado por Almir em 13/02/2006


Valeu pelo assunto, mas achei o texto um pouco confuso...

Enviado por Talita em 13/02/2006


Publique aqui seu Comentário. Ele ficará visível nesta página. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do autor deste blog.

Quer falar em particular? Envie um e-mail para
contato@mariopersona.com.br

*Nome (obrigatório):

E-Mail (opcional):

Site (opcional):

Comentário

Código de segurança anti-spam:
Digite aqui em letras maiúsculas)


Leia outros textos nos
arquivos.

Gostou do CAFÉ?
Anote no guardanapo e convide alguém!

De: ....
Para:
Comentário:


*Preencha todos os campos.

Mario Persona CAFE


Subscribe Free
Add to my Page

Cardápio Profissional:

Palestra Palestra com Manteiga
Planejamento Planejamento Light
Comunicação Comunicação Quente
Redação Redação com Ovomaltine
Tradução Tradução Inglesa
Experiência Experiência ao Ponto
Imprensa Imprensa na Chapa
Contato Fale com o Garçom

After Hours: Quero Contar, True Stories, Chapter-A-Day, O Pintor em Minha Janela

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

Livros de Mario Persona

"Ser alguém é ter uma história para contar."
Isak Dinesen

Curioso para saber quem sou? Ok, você pediu. Para poupá-lo, vou começar nos anos 70. Após a fase mauricinho, virei hippie. Isso mesmo. Compus, cantei e toquei em festivais, vivi 3 anos só de macrobiótica e vesti bata de algodão de saco de farinha. Despojamento exterior de um Gandhi, mas vivendo como a rainha da Inglaterra, PAItrocinado no conforto de um apê só meu no Guarujá e faculdade particular em Santos.

Fim dos anos 70, desenhista, designer de ambientes e cartunista, recém formado arquiteto, metido em movimentos de contracultura e volta à natureza, fui morar no mato. Comprei um sítio após uma tentativa frustrada de morar numa comunidade. Onde? Alto Paraiso, GO. Foram 3 anos cantando "Refazenda", criando carrapatos, plantando mato e comendo arroz integral com gersal.

Foi também no fim dos 70 que nasci de novo, após três anos errando à procura de um sentido para a vida em filosofias do extremo oriente. Minha procura terminou no oriente médio
e os anjos ficaram alegres.

Voltei à civilização para continuar a carreira de arquiteto. Tive escritório de arquitetura, fui vendedor de materiais de acabamento, negociador no Banco Itaú e Cia do Metrô, editor de publicações cristãs da Verdades Vivas, tradutor técnico e diretor de comunicação e marketing da Widesoft.

Dinossauro da Internet no Brasil, em 1996 criei meu primeiro site, o bilíngüe
True Stories, seguido do trilíngüe Chapter-A-Day. Trabalhando na Widesoft, criei a comunidade Widebiz e ultimamente mantenho alguns blogs, como este CAFE, o biográfico Quero Contar e o devocional O Pintor em Minha Janela.

Hoje sou
palestrante, escritor, professor e estrategista de comunicação e marketing, além de garçom aqui no Mario Persona CAFE. Para saber mais é só clicar nos docinhos do cardápio profissional lá no alto.

Descobri o ócio criativo e faço que gosto trabalhando em casa. Meus clientes nunca iam ao meu escritório — nem eu — por isso decidi assumir o modelo home-office, conectado a um atendimento profissional, empresas parceiras, ao meu filho
Lucas Persona e aos meus clientes. Adotei o modelo futuro no presente.

Ao lado de minha mesa fica a poltrona de meu filho Pedro, que passa o dia escutando música. Quem é Pedro? Esta é uma outra história que você encontra no livro
"Uma Luta pela Vida", de minha filha Lia Persona, ou acompanhando o blog Quero Contar .

Com tanta
gente lendo meus textos, visitando meu site, assistindo minhas palestras, costumo receber um bom número de e-mails de leitores. Mas nenhum foi tão enigmático quanto aquele que trazia apenas uma pergunta: "Por que você se chama Mario Persona?".

"Você é o contador de histórias de sua própria vida, e poderá ou não criar sua própria lenda."
Isabel Allende



Vida, Carreira & Negócios - PodcastOneVida, Carreira & Negócios - PodcastOne


Powered By Greymatter

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

 

 

Home | Planejamento | Comunicação | Redação | Tradução | Palestras | Coaching | Crônicas | Experiência | Imprensa | Contato

© Mario Persona Consultoria Ltda. contato@mariopersona.com.br Tel (19) 3038-4283 / Cel (19) 9789-7939 - Limeira - SP - Brasil

moving on, marketing de gente, gestão de mudanças em tempos de oportunidades, receitas de grandes negócios, crônicas de uma internet de verão


© Mario Persona

BlogBlogs.Com.Br Who links to my website?