Mario Persona CAFE - Crônicas de vida, carreira e negócios.

"É prova de alta cultura dizer as coisas mais profundas
do modo mais simples" -
Ralph Waldo Emerson 

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona é palestrante, escritor, conferencista, consultor, tradutor, professor de comunicação e marketing.

Mario Persona CAFE

Últimas - Mario Persona CAFE Arquivos - Mario Persona CAFE Receba - Mario Persona CAFE Envie - Mario Persona CAFE Contato - Mario Persona CAFE

Quer publicar estas crônicas em seu site?

[Anterior: "Alta-ajuda"] [Página Inicial] [Próximo: "O Pintor em minha janela"]

03/01/2006 Curto circuito
por Mario Persona

Curto circuito

:laugh: Se havia algo que me dava prazer na escola era caderno novo. A capa imaculada, as folhas brancas, o cheiro desbolorizado — tudo servia para estimular um novo começo. Passar a mão espalmada sobre a primeira página era como acariciar um bólido reluzente. Sem páginas viradas, tudo trazia aquela adrenalina da hora da largada.

"Desta vez vou caprichar na letra" — prometia. A capa? Revestida de papel impermeável azul, verde, amarelo ou vermelho, parecia cor de escuderia. Era só no quarto ano do grupo escolar que a gente podia correr de Ferrari. Antes da largada examinava os instrumentos — lápis, borracha, régua — no estojo e prometia não rasgar nas retas, não rasurar nas curvas, não zerar nas notas.

Que existe boa vontade e potência na largada, isso ninguém pode negar. Todo início é assim: investimos o melhor de nós, alertamos todos os sentidos, damos o máximo. Há um fator psicológico muito forte envolvido em tudo que começa e deve ser aproveitado. É o que pretendo fazer no primeiro dia da próxima semana, do próximo mês, do próximo ano. Não é assim que a gente faz? O primeiro — seja lá o que for — a gente nunca esquece. Ainda que fique só na promessa.

Você iniciaria um curso em dezembro? Loucura. Dezembro é hora de terminar, não de começar. É o último mês do ano, a última volta do circuito, todo mundo de olho na bandeirada. E regime, já pensou em começar no sábado? Nem pensar. No domingo? Também não. Apesar de ser o primeiro da semana, o dia está tradicionalmente associado ao descanso, uma espécie de parada nos boxes para encher o tanque. A largada fica mesmo para a segunda-feira.

O início da semana é um dia de começo, é ponto de partida, hora de sair da inércia e acelerar. O primeiro do mês também. O mesmo vale para bimestre, trimestre ou semestre. O calendário e suas largadas têm um impacto tremendo sobre nós. É natural acelerarmos em períodos assim e chega a ser uma arte identificar as possíveis linhas de largada nas confusas pistas da vida e dos negócios.

É aí que entra minha teoria da largada. Uma linha de partida que seja reconhecida como tal no calendário pode injetar vigor em qualquer processo, projeto ou tarefa. O contrário funciona ao contrário. Começar pelo fim pode exigir começar de novo. Você já pensou nisso? É preciso atenção na hora de escolher princípios.

Se não dá certo começar algo no princípio de dezembro, também não vai funcionar marcar algo para depois de um feriado. Dezembro é o fim de um circuito maior no qual o mês está inserido e o primeiro dia após o feriado é o princípio de coisa nenhuma. Partir fora da hora culturalmente demarcada é queimar a largada. Só vai atrasar a corrida.

Então, se o ano é o maior circuito do calendário, nada melhor do que escolher a sua largada para acelerar os grandes planos e realizações. Quanto maior o circuito, maior a aceleração obtida numa largada estendida, maiores as chances de sair da inércia, melhores as condições para se criar momento. Não existe um circuito mais longo que o ano no calendário das provas da vida.

Era o que eu pensava em voz alta, quando meu filho pôs um fim ao meu princípio:

— Pai, não se esqueça do carnaval. É curto o circuito. [>> Envie a um amigo >>]

Use o formulário abaixo para comentar.

resenha resenhas resumo resumos livro livros crítica críticas opinião opiniões literatura literaturas comentário comentários

Oh, Mundo Cãoporativo!
JERONIMO MENDES

Com textos curtos e concisos, Jerônimo Mendes apresenta 40 artigos e crônicas elaborados ao longo de sua carreira profissional. São descrições, recordações e testemunhos do cotidiano profissional vivenciado pelo autor nas empresas onde atuou. Num estilo informal e descontraído, o autor fala da relação de amor e ódio no ambiente de trabalho, onde o leitor é capaz de identificar fatos e ambientes ali mencionados. As relações humanas e a ética no trabalho são colocadas em discussão, fazendo desta obra um apoio nos momentos de frustração, dificuldades e crises de identidade profissional.

A dissociação do mundo pessoal e profissional costuma ser uma questão um tanto quanto difícil de ser resolvida. Neste livro, o autor Jerônimo Mendes fala sobre as relações humanas e a ética no trabalho em 40 crônicas e artigos curtos e concisos, que despertam para uma relação de amor e ódio no ambiente corporativo. São descrições, recordações e testemunhos do cotidiano profissional vivenciado pelo autor nas empresas onde atuou, descritas num estilo informal e, ao mesmo tempo, descontraído.

Jerônimo Mendes é consultor, palestrante e professor. O site do autor está em www.jeronimos.com.br

E a gorjeta, doutor?


Respostas: 8 Pessoas comentaram. E você, qual é sua opinião?

gostaria q me auxiliasse em alguns temas p/minha monografia de secretariado executivo bilingu,desde ja mto obrigada.

Enviado por Pollianna Marçal em 11/02/2006


Olá Mario,

Valeu o texto e parabéns pelo trabalho que realiza mostrando as pessoas que a vida pode oferecer muito mais.
Recentemente partipei de um encontro de yoga e o tema foi o tempo.
Alguém fez o seguinte comentário baseado em um livro ou artigo que tinha lido. Que cara genial que criou o tempo: com dia, noite, horas, minutos e segundos.
Para tocar os nossos projetos não precisamos esperar dezembro terminar.

Abraços,

Walter Vieira

Enviado por valter vieira em 16/01/2006


Se conseguimos visulizar as oportunidades é porque atingimos o ponto máximo de nossa apreciação do mundo real. Sempre que se inicia um ano delimitamos mudanças e focos estratégicos de atuação. Eis o fato, temos que mudar constantemente para não ficarmos inerte. Começar di zero é maximizar o importuno e não levar em conta as experiencias realizadas.

Enviado por Marcos Vinicius Ribeiro em 12/01/2006


Mario,

Esse fenômeno de início e término sempre gera um desconforto nas pessoas. Cria um ambiente de queda de energia, de rádio fora da estação e redução na força dos motores.

Nós precisamos pensar em todos os momentos como um recomeço. O gás tem sempre que estar no máximo. Não existe coisa pior que entrar em uma empresa, um casamento, ou em qualquer nova etapa da vida, pensando que o início vai ser seguido pelo término.
É com este pensamento que nós temos que levar a nossa vida.
É muito legal pensar que o minuto é o início da hora, a hora do dia, o dia da semana, a semana do mês, o mês do ano, e o ano, de cada etapa nova que temos que buscar em nossas vidas.

UM ÓTIMO RECOMEÇO!!

Fábio Almeida

Enviado por Fábio Almeida em 11/01/2006


Se não dá certo começar algo depois do feriado, então, posso depreender que começar no próprio feriado é uma boa solução, do contrário como poderia ser o início do ano ou do circuito maior, como mencionaste, o começo mais importante, posto que se dá no primeiro feriado?

Especialmente nesse 2006 temos a oportunidade de começarmos algo significativamente novo em nossas vidas. Que o sentimento inspirado pelo nosso caderno de
capa imaculada, com suas folhas brancas e o cheiro desbolorizado, sirva para estimular um novo comportamento constituído de maior responsabilidade social e sobretudo política.
Wal Rezende

Enviado por Wal Rezende em 04/01/2006


Olá é verdade Mario a coisa que mais gosto ainda, apesar de ter 26 anos é ver e ter aqueles cadernos lindos, que desde de novinha sempre adorei. Ter o material tudo bem novinho, parece que dá um incentivo para a gente nunca pensar em desistir de estudar.
Adorei o que vc escreveu e percebo que tens toda razão. Sou universitária no quarto de faculdade em secretariado executivo.
Se no mundo houvesse mais pessoas como vc, concerteza esse mundo seria bem melhor, eu adoraria de ter um novo amigo como vc Mario ops, não sei como posso lhe chamar.

Vou deixar o end. do meu blog, se quizeres dar uma passadinha lá, será muito bem vindo, ah e não esqueça de deixar seu comentário do que achou sou meu mundinho rsrs.

Vc tem orkut?

Beijinhos

De sua nova admiradora

Regina

Enviado por Regina em 04/01/2006


Excelente texto ! Me fez lembrar do tempo em que minha mãe encapava meus cadernos, borracha nova e promessas de não morder o lápis !! .. rsssss.... Vou experimentar encapar os documentos em cima da minha mesa !?! .rsss. .

Forte Abraço,

FM.

Enviado por Felipe Mesquita em 04/01/2006


Eita, e que curto circuito, hein? Mas como ainda tem gente que não veio pro lado de cá, eu já estou na ativa desde - nossa! quão cedo! - 2 de janeiro (ontem). Batalhei em 2005 pelo meu estágio, que é obritgatório só em 2007, mas que já comecei agora em 2006. Confusão? Bah, nem é tanta assim, vai?! Comecei meu estágio ontem e hoje já pude mostrar a mim mesma que é isso mesmo que quero! Trabalhar com o público, trabalhar com o turismo, trabalhar com a história de um local! O estágio na Secretaria de Turismo da minha cidade está sendo de grande valia, mesmo eu estando ali há dois dias. Fazer o que se gosta é bem legal. E enquadrando isso no seu ótimo texto, poderia dizer que eu larguei na frente e pelo jeito, acertei os pneus para dia seco. Mas que eu acertei, por enquanto, pois não se sabe se ainda virá uma chuva pela frente e fará com que eu pare no box para trocar para o pneu de chuva. Ou quem sabe, para minha sorte, seja uma rápida chuva de verão e eu continuarei despontando e sendo assim, serei ainda mais feliz quando derem a bandeirada!

Falei demais e falei de mim. Quero agora falar de ti, opa... não seria bem de ti, mas sim de seu texto: excelente obra. Me faz ter ainda mais fome de me alimentar com boas palavras, pois sou suspeita em falar, livros e palavras são duas das minhas grandes paixões, seguidas por inglês e fotografia.

Abraços,
Pâmela Machado.

Obs.: Achei que o site era meu e tomei conta da página. Prometo da próxima vez ser mais breve! :P

Enviado por Pâmela Machado em 03/01/2006


Publique aqui seu Comentário. Ele ficará visível nesta página. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do autor deste blog.

Quer falar em particular? Envie um e-mail para
contato@mariopersona.com.br

*Nome (obrigatório):

E-Mail (opcional):

Site (opcional):

Comentário

Código de segurança anti-spam:
Digite aqui em letras maiúsculas)


Leia outros textos nos
arquivos.

Gostou do CAFÉ?
Anote no guardanapo e convide alguém!

De: ....
Para:
Comentário:


*Preencha todos os campos.

Mario Persona CAFE


Subscribe Free
Add to my Page

Cardápio Profissional:

Palestra Palestra com Manteiga
Planejamento Planejamento Light
Comunicação Comunicação Quente
Redação Redação com Ovomaltine
Tradução Tradução Inglesa
Experiência Experiência ao Ponto
Imprensa Imprensa na Chapa
Contato Fale com o Garçom

After Hours: Quero Contar, True Stories, Chapter-A-Day, O Pintor em Minha Janela

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

Livros de Mario Persona

"Ser alguém é ter uma história para contar."
Isak Dinesen

Curioso para saber quem sou? Ok, você pediu. Para poupá-lo, vou começar nos anos 70. Após a fase mauricinho, virei hippie. Isso mesmo. Compus, cantei e toquei em festivais, vivi 3 anos só de macrobiótica e vesti bata de algodão de saco de farinha. Despojamento exterior de um Gandhi, mas vivendo como a rainha da Inglaterra, PAItrocinado no conforto de um apê só meu no Guarujá e faculdade particular em Santos.

Fim dos anos 70, desenhista, designer de ambientes e cartunista, recém formado arquiteto, metido em movimentos de contracultura e volta à natureza, fui morar no mato. Comprei um sítio após uma tentativa frustrada de morar numa comunidade. Onde? Alto Paraiso, GO. Foram 3 anos cantando "Refazenda", criando carrapatos, plantando mato e comendo arroz integral com gersal.

Foi também no fim dos 70 que nasci de novo, após três anos errando à procura de um sentido para a vida em filosofias do extremo oriente. Minha procura terminou no oriente médio
e os anjos ficaram alegres.

Voltei à civilização para continuar a carreira de arquiteto. Tive escritório de arquitetura, fui vendedor de materiais de acabamento, negociador no Banco Itaú e Cia do Metrô, editor de publicações cristãs da Verdades Vivas, tradutor técnico e diretor de comunicação e marketing da Widesoft.

Dinossauro da Internet no Brasil, em 1996 criei meu primeiro site, o bilíngüe
True Stories, seguido do trilíngüe Chapter-A-Day. Trabalhando na Widesoft, criei a comunidade Widebiz e ultimamente mantenho alguns blogs, como este CAFE, o biográfico Quero Contar e o devocional O Pintor em Minha Janela.

Hoje sou
palestrante, escritor, professor e estrategista de comunicação e marketing, além de garçom aqui no Mario Persona CAFE. Para saber mais é só clicar nos docinhos do cardápio profissional lá no alto.

Descobri o ócio criativo e faço que gosto trabalhando em casa. Meus clientes nunca iam ao meu escritório — nem eu — por isso decidi assumir o modelo home-office, conectado a um atendimento profissional, empresas parceiras, ao meu filho
Lucas Persona e aos meus clientes. Adotei o modelo futuro no presente.

Ao lado de minha mesa fica a poltrona de meu filho Pedro, que passa o dia escutando música. Quem é Pedro? Esta é uma outra história que você encontra no livro
"Uma Luta pela Vida", de minha filha Lia Persona, ou acompanhando o blog Quero Contar .

Com tanta
gente lendo meus textos, visitando meu site, assistindo minhas palestras, costumo receber um bom número de e-mails de leitores. Mas nenhum foi tão enigmático quanto aquele que trazia apenas uma pergunta: "Por que você se chama Mario Persona?".

"Você é o contador de histórias de sua própria vida, e poderá ou não criar sua própria lenda."
Isabel Allende



Vida, Carreira & Negócios - PodcastOneVida, Carreira & Negócios - PodcastOne


Powered By Greymatter

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

 

 

Home | Planejamento | Comunicação | Redação | Tradução | Palestras | Coaching | Crônicas | Experiência | Imprensa | Contato

© Mario Persona Consultoria Ltda. contato@mariopersona.com.br Tel (19) 3038-4283 / Cel (19) 9789-7939 - Limeira - SP - Brasil

moving on, marketing de gente, gestão de mudanças em tempos de oportunidades, receitas de grandes negócios, crônicas de uma internet de verão


© Mario Persona

BlogBlogs.Com.Br Who links to my website?